As causas da Infertilidade feminina

Publicado em: 10 de Maio de 2012

As causas da Infertilidade feminina

Entre os fatores identificáveis como causas da infertilidade feminina, constam desde distúrbios mecânicos dos órgãos reprodutores femininos, como malformações congênitas e cicatrizes de intervenções prévias nesses órgãos, a distúrbios metabólicos e hormonais e também o uso de medicamentos, como antidepressivos e quimioterápicos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as causas da infertilidade feminina mais comuns dessa desordem são distúrbios ovulatórios, endometriose, aderências pélvicas e anormalidades na tuba uterina, descritas a seguir:

Os distúrbios ovulatórios, como o nome indica, são os problemas na ovulação, ou seja, na liberação dos oócitos pelos ovários, podendo ocorrer baixa frequência de ovulações ou sua ausência completa. Manifestam-se geralmente com irregularidades menstruais. Suas causas são múltiplas e incluem: síndromes com disfunções hormonais, como a síndrome do ovário policístico, hipertireoidismo ou hipotireoidismo; distúrbios alimentares; estresse; exercícios intensos; ou uso de medicações, como anticoncepcionais orais, antidepressivos, antipsicóticos, corticosteroides ou agentes quimioterápicos.

A endometriose, por sua vez, constitui-se no aparecimento de tecido endometrial (próprio do útero) em outros órgãos ou regiões do corpo. Podem causar a infertilidade quando ocorrem nos demais órgãos reprodutores, como nos ovários ou na tuba uterina, ou pela produção de substâncias inflamatórias que influenciam nos processos normais de ovulação, fertilização e implantação.

A terceira causa mais frequente de infertilidade feminina é a existência de aderências pélvicas. Elas surgem geralmente como consequência de cirurgias ou procedimentos ginecológicos, como curetagens, cesarianas, entre outras cirurgias do aparelho reprodutor feminino, e se formam durante a cicatrização dos tecidos traumatizados, apresentando-se como bandas fibrosas que ligam tecidos ou órgãos originalmente separados. Também podem acontecer após procedimentos não ginecológicos como apendicite, uma das principais causas de cirurgia abdominal na população.

E as anormalidades da tuba uterina, por fim, dificultam o transporte dos oócitos e dos espermatozoides no trajeto entre o útero e o ovário, diminuindo assim a fertilidade. Sua principal causa é a doença inflamatória pélvica, causada por infecções advindas do trato genital inferior, por patógenos como a clamídia ou a gonorréia.

Acrescenta-se a esses fatores outras causas que dificultam a implantação do embrião no útero, como tumores ou malformações congênitas; síndromes autoimunes, que podem desencadear a rejeição do embrião pelo organismo materno ou danos placentários; e defeitos genéticos que levem à infertilidade. Outro fator que não pode deixar de ser mencionado é o envelhecimento, um processo natural que leva à diminuição da fecundidade pela redução da quantidade e da qualidade dos oócitos.

Conteúdo atualizado em: 3 de Maio de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: