Publicado em 25/07/2021 - Atualizado 31/07/2021

O estresse também pode ser uma causa da infertilidade?

o-estresse-tambem-pode-ser-causa-da-infertilidade

estresse é prejudicial à fertilidade. Descartados outros fatores ligados à infertilidade, como idade avançada e doenças associadas, muitas vezes, casais que não conseguem engravidar podem estar sofrendo com as consequências desse problema característico do mundo contemporâneo. Por isso, é preciso identificar suas causas e combatê-lo!

É sobre isso que tratamos neste artigo. Para entender melhor a relação entre estresse e infertilidade, bem como a importância de cuidar da saúde mental, continue a leitura.

Estresse e fertilidade: como se dá essa relação?

Diversos estudos tentam comprovar que o estresse pode prejudicar a fertilidade, tanto no homem como na mulher. Do ponto de vista biológico, já foi constatado que o cortisol (conhecido como hormônio do estresse) é encontrado em níveis mais altos em casais com problemas para engravidar.

Isso pode explicar porque alguns pacientes que estão realizando tratamentos de reprodução, cujas condições clínicas avaliadas por meio de exames estão boas, simplesmente, não conseguem engravidar. Muitos deles relatam sofrer com o estresse da vida diária, inclusive, por conta da preocupação com o próprio tratamento.

Estresse e fertilidade masculina

Nos homens, as consequências do estresse podem levar à redução da quantidade de esperma e de volume do sêmen. Além disso, o excesso de ansiedade também pode resultar em falta de libido, diminuição da frequência de relações e até disfunção erétil.

Estresse e fertilidade feminina

Mulheres inférteis são mais vulneráveis ao estresse. E, quanto mais estressada está a mulher, menores as chances de ovulação. Dessa maneira, o estresse dificulta, ainda mais, o tratamento de fertilidade.

Como o estilo de vida pode prejudicar a fertilidade?

Pacientes com estilos de vida pouco saudáveis são mais suscetíveis ao estresse. Quem dorme pouco e/ou mal, não se alimenta de maneira saudável e não pratica atividades físicas regulares têm maior propensão a desenvolver quadros de estresse e ansiedade, bem como doenças associadas.

Além disso, existem fortes evidências de que trabalhos que envolvem exposição a fatores de risco (como agentes químicos, raios-X e metais pesados) podem reduzir a fertilidade. É por isso que, antes de começar um tratamento para infertilidade, o especialista em reprodução assistida faz uma pesquisa específica sobre o cotidiano do casal.

O que fazer para minimizar o estresse entre casais tentantes?

A fim de diminuir os níveis de estresse e aumentar as chances de gravidez, especialistas recomendam a prática de meditação, acupuntura e exercícios físicos regularmente. Ao mesmo tempo, o acompanhamento com um psicólogo também é essencial.

Além de aliviar o estresse diário, o atendimento psicológico procura esclarecer dúvidas pontuais acerca do tratamento. Isso auxilia os pacientes a lidarem com seus medos e angústias.

Portanto, ao constatar que o estresse pode estar entre as causas para a dificuldade enfrentada, é preciso buscar assumir um novo estilo de vida. Uma postura mais saudável, certamente, auxiliará no sucesso da gestação — seja natural ou assistida.

Qual é a importância da saúde mental?

Saúde mental significa equilíbrio emocional. Ou seja, é o oposto de transtorno ou doença mental. Parece óbvio, mas nem todos enxergam essa associação.

Por isso, quem está com a saúde mental comprometida necessita de ajuda especializada para identificar e afastar os fatores desencadeadores, entre eles, o estresse. Do contrário, encarar os desafios da vida (como engravidar) se torna insuportável.

Preocupada com a saúde mental de seus pacientes, a Fecondare oferece acompanhamento psicológico ao longo dos tratamentos de reprodução assistida. O objetivo é proporcionar um espaço adequado para acolher dúvidas, reflexões, expectativas e questionamentos.

Como explicado, a ajuda especializada é essencial para que os pacientes consigam lidar, de maneira positiva, com a ansiedade do momento. Afinal, os ajuda a compreender os estágios do processo pelo qual estão passando e a assimilar os sentimentos que afloram a cada fase. Uma vez que se conhece a associação prejudicial entre estresse e fertilidade, minimizá-lo antes que se intensifique é imprescindível!

Esperamos que o artigo tenha sido conscientizador. Caso queira conferir outras dicas e ficar por dentro das novidades em reprodução humana assistida, siga a Fecondare no Facebook e Instagram!

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Dr. Ricardo Nascimento - Ginecologista - CRM-SC 3198 e RQE 2109
Formado em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina, em 1981. Residência Médica na Maternidade Carmela Dutra- Secretaria Estadual de Saúde-SC, Especialização em Reprodução Humana na Universidade Federal do Paraná.

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

    Assine nossa newsletter!

      (48) 3024-2523

      Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

      Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

      Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

      Termos e Serviços
      2021 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
      Desenvolvido por esaude