Inseminação artificial

Publicado em: 11 de julho de 2011 Por Equipe Fecondare

Inseminação artificial

O ciclo menstrual de uma mulher fértil dura aproximadamente um mês. Durante esse tempo e sobre a influência dos hormônios naturais do corpo, um pequeno folículo, contendo um óvulo, cresce até atingir o tamanho entre 17 e 20 milímetros por volta da metade do ciclo, quando o óvulo é liberado e a ovulação acontece.

A ovulação também é regulada por hormônios. O óvulo, que a partir de agora está pronto para a fertilização, passa pelas tubas uterinas para esperar pela chegada do esperma. Mas isso nem sempre pode acontecer, devido a problemas de infertilidade. Dependendo da causa, a melhor técnica de Reprodução Humana Assistida para resolvê-la e promover a concepção é a Inseminação Artificial.

Como é feita a inseminação artificial

Os métodos de reprodução humana assistida oferecem aos casais a chance de tornarem-se pais. A inseminação artificial é apenas um deles e consiste, basicamente, na introdução dos espermatozoides no fundo do útero da mulher para a fecundação do óvulo.

Os espermatozoides utilizados no procedimento podem ser oriundos do próprio homem que está realizando o tratamento junto com a parceira ou de um doador anônimo e ser adquirido em um banco de sêmen com rigoroso padrão de confiabilidade.

Geralmente recorre-se ao esperma de doador quando há ausência total de espermatozoides no ejaculado do homem em tratamento ou não se consegue captá-los diretamente do testículo. Nesse caso, há um cuidado para que as características físicas do doador sejam semelhantes ao do homem para quem, tecnicamente, é destinada a doação.

Em qualquer um dos casos a amostra de esperma é preparada no laboratório, sendo avaliada em termos de qualidade e quantidade. Depois, passa por um sistema de filtragem para classificação e limpeza e posterior colocação em uma seringa acoplada a um cateter para ser introduzido diretamente no útero, para seguir o próprio caminho pela tuba uterina.

Quais são as chances de engravidar pela inseminação artificial

O objetivo da inseminação artificial é deixar os espermatozoides mais próximos do óvulo, para que o processo, a partir desta etapa, ocorra da forma mais natural possível. Ou seja, assim como acontece em uma concepção sem intervenção, somente os mais rápidos alcançarão o óvulo e apenas um fará a fertilização.

A inseminação artificial é uma forma de possibilitar que a fecundação ocorra, mas não é uma garantia de que a concepção realmente irá acontecer. Assim como na vida cotidiana, a fertilização pela técnica pode não ser efetiva e a mulher, encerrar o ciclo sem ter engravidado.

A fertilidade feminina diminui rapidamente depois dos 35 anos. Esse é mais um motivo para os casais inférteis procurar tratamento médico adequado no momento em que percebe que estão tendo alguma dificuldade para engravidar.

Conteúdo atualizado em: 12 de julho de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: