25/06/2019

Quanto tempo leva um tratamento para engravidar?

O desejo de engravidar pode fazer com que muitos casais fiquem ansiosos para que esse momento tão esperado chegue rapidamente. Dependendo da vontade e necessidade de cada casal, o tempo para gerar a gravidez pode ser considerado longo, enquanto que, para outros, esse período é bastante aceitável.

Não existe uma regra rígida para determinar o tempo de duração de um tratamento de reprodução humana assistida, já que vai depender muito de cada paciente, do tipo de tratamento e da causa da infertilidade. Este último fator, aliás, precisa ser investigado o quanto antes, visto que o tempo de diagnóstico é muito variável e pode demorar até 3 meses. 

Tratamentos de reprodução humana assistida

Por utilizarem diferentes métodos, os tratamentos de reprodução humana podem apresentar grandes variações de tempo para surtir o efeito desejado. Conheça o tempo médio para cada um!

Fertilização In Vitro (FIV)

A coleta do óvulo e dos espermatozoides são a primeira etapa da Fertilização in Vitro. A mulher recebe medicamentos aplicados via subcutânea que estimulam a produção de um número maior de folículos. O Dr. Marcelo Ferreira, ginecologista da Fecondare, explica que o tempo pode variar: “Em média, são 10 dias de estimulação, o que vai totalizar um tempo de 12 a 14 dias até a punção”.

O médico acompanha a produção de óvulos por meio de exames de ultrassom que permitem observar o momento adequado para proceder a coleta. Mediante a confirmação da maturação dos óvulos, é feita a preparação do espermatozoide utilizado para a fecundação.

Quando o homem tem espermatozoides viáveis no sêmen, a coleta pode ser feita diretamente dele, após a masturbação e ejaculação. Já em casos em que há ausência de gametas no sêmen, é necessário fazer uma punção para retirar os espermatozoides diretamente do testículo.

Em média, o tratamento dura cerca de 15 a 30 dias, mas o período entre as primeiras avaliações do casal e o exame de gravidez pode demorar até 45 dias. A Fertilização In Vitro pode ser dividida em cinco etapas, com as seguintes médias de duração:

  • estimulação ovariana: 10 dias;
  • punção folicular e coleta de espermatozoides em laboratório: 1 dia;
  • cultivo embrionário: 1 a 5 dias;
  • transferência embrionária: 1 a 5 dias após a punção;
  • período de espera e teste de gravidez: até 15 dias após a punção ovariana.

Caso a tentativa falhe, é necessário um tempo de espera até realizar um novo procedimento: “Na Fertilização In Vitro, temos maiores chances de necessitarmos de um ciclo, que poderá ser de um mês entre as tentativas.”, explica o Dr. Jean Maillard, diretor técnico médico da Fecondare.

Inseminação Artificial

A técnica consiste em melhorar a capacidade dos espermatozoides por meio da injeção deles dentro da cavidade endometrial, após a indução da ovulação. Divide-se em dois tipos, homóloga, quando a origem do sêmen é do próprio parceiro, e heteróloga, quando for usado sêmen de doador anônimo, adquirido em banco de sêmen de rigoroso padrão de confiabilidade. 

Em média, o tempo de tratamento dura 12 dias entre a estimulação,  controles e inseminação, propriamente dita, segundo o Dr. Marcelo Ferreira. Contudo, o período entre o início do tratamento e a confirmação, ou não, da gravidez dura em torno de um mês. 

Após a liberação dos óvulos, é realizada a inseminação, que normalmente coincide com o período fértil da mulher. Cerca de 15 dias depois, é realizado um teste para verificar o sucesso da gravidez.

Uma das vantagens desse tratamento para gravidez é que não é preciso esperar um novo ciclo para realizar outra tentativa. Caso a gravidez não seja confirmada, pode-se realizar uma nova tentativa em seguida à anterior.

Indução da ovulação com coito programado

Quando o problema é a falta de hormônios produzidos pelo próprio cérebro que estimulam a ovulação, ou mesmo um ovário que não responde aos estímulos que recebe, o tratamento mais adequado por ser a indução da ovulação.

A técnica consiste em uma série de condutas que visam, em última análise, à formação de um óvulo que pode gerar um embrião. Essa indução pode ser feita com diferentes medicamentos, que variam em custo, duração de tratamento, efeitos colaterais e indicação de uso, ou seja, para cada paciente, com sua causa específica de anovulação, pode-se buscar uma opção mais adequada.

O procedimento é acompanhado por ultrassonografias seriadas, que são realizadas cerca de três a quatro vezes, desde o início do ciclo até a ovulação, em diferentes dias, para averiguar a eficácia do tratamento.

No primeiro exame, é observada a presença de folículos com boas chances de liberar o óvulo. O segundo é o que determina o período certo para o casal ter a relação sexual com a perspectiva de haver a concepção. O último é para verificar se ocorreu a liberação do óvulo. Caso tenha ocorrido, é preciso que haja relação sexual para gerar a gravidez.

Como nas técnicas citadas anteriormente, a indução dura cerca de 12 dias e, geralmente, é realizada quando a mulher está em período fértil. Nesse caso, o tempo de duração do tratamento não ultrapassa os 15 dias. Se a tentativa falhar, um novo procedimento pode ser realizada em seguida, mas se após 3 tentativas o casal não obtiver sucesso, pode ser recomendado optar por outras alternativas de tratamento.

A importância de manter a calma

Para garantir o sucesso do tratamento, é fundamental manter a calma durante todo o processo e não se preocupar com o tempo de duração, já que o estresse decorrente pode interferir na quantidade e qualidade de hormônios importantes para o sistema reprodutivo.

É o que mostrou um estudo realizado na Escola de Saúde Pública da Universidade de Boston. A pesquisa revelou que, quanto maior o estresse do casal, menor são as taxas de fecundação. Isso ocorre porque, quando a mulher está estressada, há uma interferência na liberação do hormônio luteinizante (LH), considerado gatilho para a ovulação. No caso dos homens, esse hormônio provoca uma menor produção de espermatozoides.

Buscando ajuda médica

Para realizar o tratamento mais adequado, tomar todos os cuidados necessários e garantir boas taxas de sucesso, é fundamental buscar um especialista em reprodução assistida

Além disso, somente ele poderá indicar com precisão quanto tempo, em média, levará o tratamento individualizado, tendo em vista os fatores pessoais de cada paciente.

Gostou do nosso conteúdo? Aproveite para baixar o e-book Reprodução Humana, produzido pelos especialistas da Fecondare e conhecer um pouco mais sobre os tratamentos de reprodução assistida.

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Dra. Ana Lúcia Bertini Zarth - Ginecologista - CRM-SC 8534 e RQE 10334
CRM 8534 e RQE 10334  Ginecologista Formada na Faculdade de Medicina da PUC – RS em 1993; Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital São Vicente de Paula, Passo Fundo – RS. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia, pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) em 1997. Fellow em Reprodução Assistida pela […]

Assine nossa newsletter!

(48) 3024-2523

Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

2019 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
Desenvolvido por esaude