28/11/2018

Como saber se a prolactina está alta?

como-saber-se-a-prolactina-esta-alta

Verificar que a prolactina está alta por meio do exame laboratorial pode indicar uma série de questões importantes para gravidez que precisam ser investigadas. Normalmente, a prolactina é responsável por aumentar a produção de leite pelas glândulas mamárias, principalmente após o parto. Consiste em um hormônio produzido pela hipófise, aquela glândula que produz vários outros hormônios que regulam a função de outras glândulas importantes ao organismo, como supra renais, gônadas e tireóide.

Ouça este conteúdo:

 

Na fase de aleitamento materno, a prolactina atua com um efeito inibitório dos hormônios sexuais maternos, suprimindo os ciclos menstruais e diminuindo a libido e a fertilidade nesse período. Assim, esse hormônio exerce a função de um método contraceptivo natural, embora não tenha 100% de confiabilidade. Mas o que significa quando esse hormônio está alto?

O que significa o exame que indica que a prolactina está alta?

Durante o aleitamento materno, a inibição dos hormônios sexuais pela prolactina é uma ação favorável, já que uma nova gravidez nesse período pode ser desagradável para a maioria das mães. 

Entretanto, quando esse hormônio está alto fora do momento de lactação, em ambos os gêneros, pode sugerir questões preocupantes. Assim, é possível que o aumento da prolactina indique:

  • diminuição do desejo sexual;
  • diminuição da lubrificação vaginal;
  • galactorréia: saída de leite das mamas, tanto em mulheres, quanto em homens;
  • irregularidade menstrual;
  • impotência sexual;
  • redução do volume da ejaculação;
  • alterações de humor;
  • infertilidade.

Da mesma forma, caso essa condição se apresente em crianças e adolescentes, é possível que o excesso de prolactina e a respectiva inibição dos hormônios sexuais leve à diminuição progressiva de massa óssea. Assim, esse fator poderá aumentar o risco de osteoporose e induzir ao ganho de peso, em decorrência do tecido adiposo, que irá substituir a massa muscular gradativamente.

O que leva ao aumento da prolactina?

Algumas causas estão relacionadas ao aumento da prolactina. Vejamos as principais, a seguir.

Tumores na hipófise

Também chamado de prolactinomas, os tumores na hipófise produtores da prolactina é a principal causa do aumento de prolactina. A grande maioria dos casos se dá por tumores de pequenas dimensões (microprolactinomas), que medem menos de 10 milímetros de diâmetro e podem ser identificados por meio de ressonância magnética ou tomografia computadorizada. 

Esses tumores raramente crescem a ponto de trazer riscos severos. Em alguns casos, grandes lesões podem ocasionar compressão do nervo óptico, seguido de perda do campo visual, além de fortes dores de cabeça.

Uso de determinados medicamentos

Alguns medicamentos aumentam o nível de prolactina, sendo a segunda maior causa do excesso do hormônio. Dentre eles, podemos citar:

  • ansiolíticos e antidepressivos;
  • antipsicóticos e neurolépticos;
  • anticonvulsivantes;
  • anti-hipertensivos;
  • medicamentos para gastrite e refluxo gastroesofágico;
  • estrógeno;
  • uso de maconha;
  • opióides.

Por isso é importante verificar o uso desses medicamentos e sua interferência na análise dos resultados de aumento da prolactina. Dessa forma, quando essas medicações não puderem ser suspendidas, o resultado poderá ser aceito mediante os níveis elevados do hormônio. Entretanto, isso dependerá de cada caso e da supervisão de um especialista.

Outras causas

Algumas doenças e situações também poderão elevar a prolactina. Às vezes, isso poderá acontecer de maneira assintomática ou por meio de sintomas leves. Da mesma maneira, outras condições poderão levar ao excesso do hormônio:

  • hipotireoidismo indevidamente controlado;
  • macroprolactinemia: situação que se dá quando as moléculas de prolactina se agrupam umas às outras, formando moléculas gigantes e resultam no exame como um aumento de prolactina falso-positivo;

Além disso, medir a prolactina em algumas condições poderá demonstrar resultados aumentados, como: fase de lactação, após relações sexuais, noites mal dormidas e piercing nos mamilos. 

Como verificar se a prolactina está alta?

É possível medir a prolactina por meio de um exame laboratorial, que entrega o resultado em um dia, aproximadamente. Assim, poderá ser realizado sem repouso ou com repouso de 30 minutos com veia cateterizada, segundo orientações médicas. No caso das mulheres, para realizar o exame, algumas questões serão importantes de serem respondidas:

  • data da última menstruação;
  • regularidade do ciclo menstrual;
  • método contraceptivo utilizado;
  • uso de medicamentos;
  • informações sobre a gravidez.

Por isso, caso encontre-se no quadro de prolactina alta, procure um especialista e  busque orientações. Felizmente, para casos de infertilidade existem tratamentos em que é possível lidar com essa condição e favorecer as chances de gravidez. Marque uma consulta e consulte.

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Equipe Fecondare

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter!

(48) 3024-2523

Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

2019 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
Desenvolvido por esaude