Publicado em 10/05/2022

Avaliação da reserva ovariana através da dosagem do Hormônio Anti-Mulleriano

avaliacao-da-reserva-ovariana-atraves-da-dosagem-do-hormonio-anti-mulleriano

dosagem do Hormônio Anti-Mulleriano (HAM ou AHM, na sigla em inglês) possibilita a avaliação da reserva funcional ovariana. Mas, apesar do exame ser conhecido como teste de fertilidade feminina, é preciso deixar claro que uma eventual baixa contagem de folículos ovarianos não impossibilita, necessariamente, a gravidez!

Neste artigo, explicamos tudo sobre o exame, bem como seu papel na individualização dos tratamentos de reprodução assistida. Para entender, continue a leitura!

O que é o Hormônio Anti-Mulleriano?

O Hormônio Anti-Mulleriano é o hormônio que controla o desenvolvimento dos folículos ovarianos (local onde os óvulos ficam armazenados). Ele atinge sua maior concentração na puberdade e diminui, progressivamente, com o avanço da idade, cessando por completo na menopausa.

Considerado um dos melhores marcadores da reserva ovariana, ele revela a quantidade dos óvulos disponíveis. Assim, ajuda a fornecer, ao lado de outros marcadores séricos, como o hormônio folículo estimulante (FSH),o estradiol (E2) e a inibina B, e da contagem ultrassonográfica de folículos antrais (CFA),o prognóstico da capacidade reprodutiva de maneira bastante assertiva.

Para que serve a dosagem do Hormônio Anti-Mulleriano?

A dosagem do HAM permite individualizar a terapia de indução ovariana, a qual costuma ser realizada nos tratamentos de reprodução humana assistida. Com isso:

  • aumentam as chances de engravidar;
  • evita-se o uso desnecessário de gonadotropinas em mulheres com tendência à má resposta à estimulação ovariana (devido a idade e/ou a testes de reserva ovariana alterados);
  • pode-se prevenir a síndrome de hiperestimulação ovariana (SHO) e problemas associados.

Níveis circulantes aumentados de HAM também podem indicar a presença de alterações ligadas à infertilidade, como a síndrome dos ovários policísticos (SOP). Sabe-se que essa condição é a principal causa da dificuldade feminina para engravidar.

Porém, nem a contagem de HAM nem de outros marcadores da reserva ovariana são capazes de prever o funcionamento ovariano a médio e longo prazo. Todos se limitam à avaliação momentânea, não sendo úteis para estimar o futuro reprodutivo ou prever a chegada da menopausa em mulheres com ciclos menstruais regulares.

Quando esse tipo de teste é indicado?

A dosagem do Hormônio Anti-Mulleriano, feita a partir da coleta de sangue e sem necessidade de jejum, pode ser realizada em qualquer dia do ciclo menstrual.

Seja como for, o teste não costuma ser solicitado na rotina ginecológica padrão, mas integra o arsenal de exames do ginecologista especialista em reprodução. Nesse caso, é indicado para pacientes que:;

Quais são os valores de referência para a contagem de HAM?

Até o momento, não existem valores de referência definitivos para a dosagem do Hormônio Anti-Mulleriano. Assim, o consenso médico considera:

  • como baixa reserva ovariana, quando a paciente tem níveis de HAM inferiores a 1,5 ng/mL;
  • como risco elevado para hiperestimulação ovariana, quando a paciente apresenta níveis de HAM superiores a 3,5 ng/mL.
  • sempre associado o resultado do exame com a idade da mulher

Como engravidar apesar da baixa reserva ovariana?

Se a contagem de HAM ficou aquém do esperado, dificultando a gravidez, os tratamentos de fertilidade ajudam a contornar o problema. A definição da melhor estratégia é elaborada pelo ginecologista especialista em reprodução humana.

As possibilidades terapêuticas variam conforme o quadro de cada paciente ou do casal de pacientes. Elas podem ser:

Ao mesmo tempo, recomenda-se fazer um acompanhamento psicológico. Essa é a melhor forma de conseguir lidar com o diagnóstico da queda na reserva ovariana e da consequente dificuldade para engravidar.

Para concluir, a dosagem do Hormônio Anti-Mulleriano é considerada o melhor marcador da avaliação da reserva ovariana quando assiciado a contagem de foliculos antrais na menstruação. Ao mesmo tempo, ajuda a individualizar o tratamento de reprodução humana assistida, possibilitando melhores resultados, com menores riscos!

Ficou com alguma dúvida? Conte conosco! Entre em contato para que possamos esclarecê-la.

Aproveite, também, para seguir a Fecondare no Facebook e Instagram e aumente seus conhecimentos sobre fertilidade e reprodução assistida!

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Equipe Fecondare

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

    Assine nossa newsletter!

      (48) 3024-2523

      Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

      Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

      Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

      Termos e Serviços
      2022 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
      Desenvolvido por esaude