Publicado em 01/08/2021 - Atualizado 09/08/2021

Algumas cirurgias podem causar infertilidade. Descubra quais

voce-sabia-que-algumas-cirurgias-que-podem-causar-infertilidade-descubra-quais-sao-e-como-elas-afetam-homens-e-mulheres

Algumas cirurgias podem provocar infertilidade permanente nos pacientes. É o caso de diversos procedimentos realizados na região abdominal e pélvica, tanto em mulheres como em homens. Mas graças às técnicas de reprodução assistida, é possível preservar a fertilidade para, caso seja o desejo, viabilizar uma futura gravidez.

Neste artigo, explicamos como alguns procedimentos prejudicam a fertilidade e o que pode ser feito para preservá-la. Continue a leitura e entenda porque quanto antes o paciente buscar ajuda especializada, melhor!

O que é preciso para conseguir engravidar naturalmente?

Para conquistar uma gestação natural, o aparelho reprodutivo e a saúde, de maneira geral, precisam estar em pleno funcionamento. Porém, ao longo da vida, homens e mulheres podem ser surpreendidos por situações que exigem tratamentos cirúrgicos.

Em alguns casos, esses procedimentos afetam a capacidade reprodutiva. Quando a intervenção se dá no útero ou trompas, assim como no sistema de produção e transporte dos espermatozoides, podem ocorrer futuros problemas para engravidar.

Como as cirurgias no aparelho reprodutivo podem afetar a fertilidade?

As alterações anatômicas no sistema reprodutivo estão entre as principais causas de infertilidade feminina. Em algumas mulheres, essas alterações são genéticas; em outras, foram causadas por intervenções cirúrgicas.

De qualquer maneira, quando bem indicadas, as cirurgias são benéficas para a cura das doenças e, consequentemente, indispensáveis. A boa notícia é que, em geral, após passar por um tratamento invasivo, basta aguardar um intervalo de tempo para que o organismo consiga recuperar sua capacidade reprodutiva.

A recuperação, que para alguns casos pode levar um mês e, em outros, até um ano, depende do histórico de saúde do paciente e de outros fatores relacionados a sua condição clínica. Mas uma vez que o local tratado esteja saudável, viabiliza-se a gestação.

No caso dos homens, a fertilidade está diretamente ligada às características dos espermatozoides, incluindo a quantidade e forma, bem como a motilidade (capacidade de se locomoverem). Essas características podem ser alteradas em função de problemas nos testículos, níveis hormonais e distúrbios genéticos. Além disso, alguns procedimentos cirúrgicos também podem interferir nas características do esperma, levando à infertilidade.

Quais cirurgias podem provocar infertilidade nas mulheres?

Para as mulheres que têm intenção de engravidar, mas precisam fazer uma cirurgia em algum órgão reprodutivo, é muito importante que os procedimentos cirúrgicos sejam realizados por ginecologistas com foco na preservação da fertilidade. A histerectomia (cirurgia para a remoção do útero) e a ooforectomia (para a retirada dos ovários),necessárias no tratamento de alguns tipos de câncer, são algumas das cirurgias que comprometem a capacidade de gerar um filho.

miomectomia (cirurgia para extração de miomas uterinos, um tipo de tumor benigno) também pode levar à infertilidade. O mesmo ocorre com a cirurgia para retirada das trompas danificadas pela doença inflamatória pélvica (DIP).

Além disso, a cirurgia para remover as lesões presentes na cavidade uterina pode modificar o endométrio (tecido que reveste a parede interna do útero). Com isso, ele não consegue atingir a espessura adequada para abrigar o embrião no início da gravidez, levando ao diagnóstico de infertilidade.

E existem, ainda, os casos de aderências pélvicas (bandas fibrosas que unem tecidos ou órgãos originalmente separados). O problema surge como consequência de cirurgias realizadas no local, em decorrência da cicatrização anormal dos tecidos traumatizados.

Quais cirurgias podem provocar infertilidade nos homens?

Algumas cirurgias realizadas na região abdominal e pélvica podem provocar infertilidade permanente nos homens. A prostatectomia (tratamento para o câncer de próstata) é uma das que mais afetam a fertilidade masculina, pois pode comprometer a capacidade de ejaculação.

orquiectomia (cirurgia para remoção de tumores nos testículos ou para remoção de testículos infartados, por conta de uma torção testicular) e a epididimectomia (cirurgia para tratar a infecção crônica do epidídimo) são outros exemplos de procedimentos que prejudicam a fertilidade nos homens.

O mesmo ocorre nas cirurgias para correção de hérnia inguinais ou da hidrocele (acúmulo de líquido nos testículos). Esses procedimentos podem gerar aderências que obstruem os ductos deferentes (canais por onde passam os espermatozoides),impedindo a saída do sêmen.

Quais técnicas ajudam a preservar a fertilidade nos pacientes?

Algumas cirurgias causam infertilidade permanente, ou seja, mesmo após o período de recuperação pós-operatório. Sabendo dessa possibilidade, quem pretende gerar um filho deve buscar uma forma de preservar a fertilidade.

Nesse caso, indica-se a criopreservação de células reprodutivas. A técnica, que promove o congelamento de óvulossêmen ou embriões, possibilita a futura realização de procedimentos de reprodução assistida, tais como a fertilização in vitro (FIV) ou a injeção intracitoplasmáticade espermatozoides (ICSI).

Como funciona a criopreservação de células reprodutivas?

A técnica de criopreservação permite a homens e mulheres usar seus gametas ou embriões futuramente, quando estiverem em melhores condições de saúde. Para isso, a coleta das células reprodutivas deve ser feita antes da cirurgia.

Cada procedimento tem suas necessidades:

  • no congelamento de óvulos, é preciso fazer a estimulação ovariana (por cerca de 10 dias),a punção folicular (para captura dos ovócitos dentro dos folículos ovarianos) e a vitrificação (tipo de congelamento);
  • no congelamento de sêmen, basta que os espermatozoides ejaculados (ou coletados) estejam em boas condições para seguirem para o congelamento;
  • no congelamento de embriões, após a coleta dos gametas, é necessário fazer a fertilização in vitro e congelar os embriões resultantes.

Para concluir, a preservação da capacidade reprodutiva sempre deve ser lembrada antes da realização de uma intervenção que a coloque em risco. Afinal, diversas cirurgias causam infertilidade. E ainda que esse alerta deva ser dado pelo médico responsável, a definição sobre a técnica mais adequada cabe ao especialista em reprodução humana. Por isso, consulte-o o quanto antes!

Ficou com alguma dúvida? Nesse caso, entre em contato com a Fecondare. Nossa equipe está pronta para orientá-lo da melhor forma possível!

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Dra. Ana Lúcia Bertini Zarth - Ginecologista - CRM-SC 8534 e RQE 10334
Formada na Faculdade de Medicina da PUC – RS em 1993, Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia, Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia, pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) em 1997.

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

    Assine nossa newsletter!

      (48) 3024-2523

      Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

      Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

      Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

      Termos e Serviços
      2021 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
      Desenvolvido por esaude