Publicado em 29/03/2021

Plano de carreira: por que considerar o planejamento familiar ao criar o seu

plano-de-carreira-por-que-considerar-o-planejamento-familiar-ao-criar-o-seu

A gravidez tardia é uma tendência global, consequência direta dos desafios do século XXI. Atualmente, cada vez mais mulheres optam por adiar a gestação para ter mais tempo de investir na formação acadêmica, se desenvolver profissionalmente, desbravar o mundo, entre outras razões.

No entanto, para assegurar o bom andamento de seus projetos de vida, no qual a maternidade ainda tem um lugar de destaque, é imprescindível considerar planejamento familiar durante a construção do plano de carreira.

Neste artigo, explicamos o porquê dessa associação e de que forma a medicina reprodutiva pode ajudar. Para entender melhor, continue a leitura.

Por que conciliar o planejamento familiar ao plano de carreira?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) descreve os chamados anos reprodutivos como um período de múltiplas oportunidades de realização pessoal e profissional. Nesse cenário, nem sempre há espaço para um bebê.

Afinal, para crescer na empresa onde trabalha ou fazer o próprio negócio deslanchar, é preciso comprometimento e dedicação. Acontece que o tempo não para e, lá na frente, quando a vida profissional estiver, enfim, estabelecida, pode surgir a vontade de ser mãe. Nessa hora, há três possibilidades:

Quem inclui o planejamento familiar no plano de carreira fica menos sujeita a esses riscos, pois, por mais que o foco esteja no trabalho, pode-se tomar algumas providências para preservar a fertilidade. Veja um exemplo simples e genérico de como as metas de vida podem levar em conta os desejos profissionais e pessoais:

  • objetivos até os 30 anos: investir nos estudos, viajar, trabalhar em uma empresa com possibilidade de crescimento (ou montar o próprio negócio) e engravidar (ou preservar as células reprodutivas);

  • objetivos dos 30 aos 35 anos: crescer profissionalmente, alcançar a independência financeira e engravidar (ou preservar as células reprodutivas);

  • objetivos depois dos 35 anos: estabilizar-se profissional e financeiramente, ter mais tempo livre, engravidar e constituir uma família.

Como os procedimentos que asseguram a fertilidade podem contribuir?

Ainda que cada caso seja único, de maneira geral, quem se preocupa com a preservação de suas células reprodutivas enquanto a fertilidade ainda está no auge, têm mais chances de ter sucesso em um procedimento de reprodução assistida. Dito de outra forma, fica mais fácil engravidar quando desejar. É o clássico caso de mulheres na faixa dos 30 que desejam ficar grávidas apenas daqui há alguns anos.

Isso ocorre porque, após os 35 anos de idade, as mulheres sofrem uma baixa considerável na reserva ovariana. Ao mesmo tempo, têm mais chances de desenvolver comorbidades (como diabetes, hipertensão, entre outras) consideradas fatores de risco à gestação.

Conhecendo todos esses elementos, quem deseja adiar a gravidez deve consultar um médico especialista em reprodução humana e aconselhar-se. Após uma bateria de exames, provavelmente, ele irá sugerir a criopreservação de óvulos e mostrar quais são os procedimentos possíveis para viabilizar uma gestação futura.

Quando é indicado procurar um especialista em reprodução assistida?

Quando se deseja adiar a maternidade, a importância de preservar a fertilidade já deve estar clara. Os especialistas recomendam que o congelamento de óvulos (ou de embriões) seja feito antes dos 35 anos de idade, quando essas células são mais saudáveis e numerosas.

Já em relação ao limite da idade para engravidar, a Resolução CFM Nº 2013/13, do Conselho Federal de Medicina (CFM),determina que, no Brasil, podem ser candidatas às técnicas de reprodução assistida candidatas com, no máximo, 50 anos. Isso porque, conforme a idade avança, aumentam os riscos para a gestante e o bebê.

Para concluir, aproveite seus anos mais férteis — em relação a tudo, não apenas biologicamente — da forma como bem entender. Se nesse período a maternidade tiver que ser adiada, procure um especialista, tire suas dúvidas a respeito e se prepare como for necessário. Ao conciliar o planejamento familiar ao plano de carreira, você tem mais segurança e tranquilidade para desfrutar das conquistas do presente e do que ainda está por vir. Invista em você e não se prive dos seus sonhos!

Gostou deste artigo? Para ver outros conteúdos da Fecondare, siga nossas redes sociais: estamos no Facebook e Instagram!

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Dr. Jean Louis Maillard - Ginecologista - Diretor técnico médico - CRM-SC 9987 , CRM-RS 13107 e RQE 5605
Ginecologista formado na Faculdade de Medicina da PUCRS em 1983, com residência médica em Ginecologia e Obstetrícia, Precertopship de Histeroscopia e Fellow nos Hospitais Tenon e Port Royal em Paris

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

    Assine nossa newsletter!

      (48) 3024-2523

      Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

      Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

      Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

      Termos e Serviços
      2021 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
      Desenvolvido por esaude