Aconselhamento reprodutivo para mulheres que desejam adiar a gravidez

Publicado em: 19 de Abril de 2017

Aconselhamento reprodutivo para mulheres que desejam adiar a gravidez

Adiar a gravidez ou outros planos para ter um bebê primeiro? Essa dúvida é recorrente. Muitas mulheres se deparam com ela todos os dias. Talvez, a melhor maneira de decidir o que fazer seja, antes de tudo, conhecer os fatores biológicos implicados nessa questão: idade e reserva ovariana.

Os especialistas em reprodução humana recomendam que as mulheres engravidem antes dos 35 anos. Até essa idade, uma mulher em boas condições de saúde é mais fértil e as chances de a gestação ocorrer espontaneamente são maiores.

Isso tem relação com o outro fator: a reserva ovariana. Infelizmente, os óvulos não duram para sempre, nem se renovam a cada ciclo menstrual. Pelo contrário, conforme o tempo passa, a quantidade de gametas disponíveis para fecundação só diminui. Além disso, eles perdem qualidade.

O que fazer: adiar a gravidez ou ter um bebê agora?

Do ponto de vista fisiológico, o quanto antes a mulher tiver um bebê, maior é a possibilidade de ela engravidar naturalmente e de dar à luz um filho extremamente saudável. Nesse cenário, adiar a gravidez parece não ser uma boa alternativa. Mas as coisas não precisam ser bem assim.

Com planejamento, é possível postergar a maternidade e manter a fertilidade com a ajuda do congelamento de óvulos. Só não será possível engravidar de forma natural, já que será preciso realizar uma fertilização in vitro (FIV) para que o óvulo seja fecundado pelo espermatozoide.

A taxa de gravidez entre mulheres que optam por congelar os óvulos para serem mães mais tarde e entre mulheres que engravidam espontaneamente é muito semelhante. Apenas a forma de concepção do bebê ocorre de maneira diferente.

O que mais influencia no sucesso do tratamento é a idade em que a mulher opta por congelar os óvulos. A regra é, basicamente, a mesma: quanto mais jovem ela for, mais qualidade terão os óvulos e maiores serão as chances de um bebê ser gerado. A idade mínima permitida à mulher para congelar os óvulos é 21 anos.

Os gametas podem permanecer congelados por tempo indeterminado, pois a criopreservação os mantêm intactos até o dia do descongelamento. Somente depois de descongelados é que eles voltam a sofrer os efeitos do tempo.

O que a mulher precisa refletir é sobre quando pretende engravidar, pois uma gestação tardia pode implicar em alguns riscos, como o de desenvolver diabetes gestacional e hipertensão, e um parto prematuro.

O melhor caminho para decidir entre adiar a gravidez e ter um bebê agora é conversar com um especialista em reprodução humana assistida. Algumas clínicas dispõem de um serviço de acompanhamento psicológico e esse aconselhamento, associado às informações médicas, pode ser mais um suporte para esta decisão.

Conteúdo atualizado em: 29 de junho de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: