Oligospermia: você sabe o que é isso?

Publicado em: 1 de novembro de 2017

Oligospermia: você sabe o que é isso?

A infertilidade é um problema que afeta, também, os homens. A dificuldade para que tenham um filho pode ser causada pela oligospermia. É quando o número de espermatozoides é menor do que o recomendado para que a fecundação seja possível.

A oligospermia não é tão grave quanto a azoospermia, caracterizada pela improdutividade de gametas masculinos ou causada por obstruções, ou pela falta de ejaculação. Ainda assim, precisa ser tratada para que o homem tenha a chance de se tornar pai.

É preciso que um homem contenha cerca de de 20 milhões de espermatozoides no sêmen para ser considerado fértil. Essa verificação é feita por intermédio de um espermograma. O exame é realizado a partir da coleta do esperma, que ocorre cerca de três dias depois de o homem permanecer em abstinência sexual, em ambiente apropriado para o momento.

Um resultado que identifica a existência de um pouco menos de 20 milhões de gametas masculinos por mililitro de sêmen pode não ser considerado um grande problema. Mas isso não significa que não mereça atenção. Já quando a quantidade de espermatozoides detectada está abaixo de dois milhões, existe a possibilidade de o homem possuir um quadro severo de oligospermia.

Por que os homens têm oligospermia?

O baixo número de células reprodutoras identificado pelo espermograma pode ocorrer devido a uma inflamação nos testículos. Há vários fatores que podem causar essa inflamação:

Roupas muito apertadas

O problema pode estar no tipo de cueca que o homem veste. As com cortes tradicionais podem apertar os testículos, a ponto de provocar o surgimento da inflamação e a queda no número de espermatozoides presentes no sêmen.

Alimentação inadequada

Uma dieta em que é alto o consumo de alimentos muito gordurosos pode prejudicar a qualidade e a quantidade de espermatozoides que um homem produz. Priorizar o consumo de alimentos mais naturais, como verduras e legumes, ajuda a prevenir o desenvolvimento da oligospermia.

Tabagismo

O tabaco influencia diretamente na redução da motilidade dos espermatozoides e do volume de sêmen liberado na ejaculação. Homens que não fumam ou abandonaram o hábito têm maior chance de manter ou resgatar a função dos testículos, responsáveis pela produção dos gametas masculinos.

Alcoolismo

O consumo de álcool está associado aos desequilíbrios hormonais que podem comprometer a produção de espermatozoides.

Além de mudar os hábitos e o estilo de vida, para reverter a oligospermia e poder ter um filho nos braços, o homem precisa ser atendido por um médico especialista em reprodução humana. O profissional irá orientar quanto ao melhor tratamento e, dependendo do caso, indicar a realização de uma fertilização in vitro (FIV) para que o homem possa ter um bebê para o chamar de pai.

Conteúdo atualizado em: 27 de Abril de 2018

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: