Publicado em 25/05/2020 - Atualizado 29/06/2020

Mitos e verdades sobre o período fértil

mitos-e-verdades-sobre-o-periodo-fertil

Saber calcular o período fértil é fundamental para planejar uma gravidez corretamente. Além da mulher estar mais sintonizada com o funcionamento do seu sistema reprodutor, o método da tabelinha permite uma aproximação considerável das datas do seu ciclo menstrual.

No entanto, é importante compreender que algumas questões devem ser consideradas quando o assunto é calcular o período fértil pela tabelinha. Da mesma forma, surgem diversas informações falsas a respeito do tema.

Leia o artigo para ficar mais atenta sobre como o período fértil está relacionado à gravidez, além de outras questões importantes sobre o tema:

Período fértil: saiba calculá-lo corretamente

Seja para as mulheres que estão no intuito de engravidar ou mesmo aquelas que desejam conhecer mais sobre o funcionamento do seu corpo, saber reconhecer o período fértil é uma ação fundamental no processo.

O período fértil é considerado o momento ideal para que a gravidez aconteça, já que é nessa fase que a mulher está passando pela ovulação, ou seja, quando o ovário libera um ou mais óvulos para serem fecundados por um espermatozoide.

Por isso, se a mulher também não tiver o desejo de engravidar, é necessário estar atenta ao período fértil e evitar o sexo desprotegido durante a ovulação.

Para calcular a data aproximada da ovulação, é necessário estar atenta ao ciclo menstrual, que vai desde o primeiro dia da última menstruação até o primeiro dia da menstruação seguinte.

Dessa forma, para identificar o período fértil e o consequente dia mais provável da ovulação, chegamos ao período que data a exata metade do ciclo menstrual.

Por isso, se a mulher apresenta um ciclo regular de 28 dias, é contado o 14° dia a partir do primeiro dia da menstruação. Geralmente, para melhores resultados, considera-se como um período propício para a fecundação, de dois a três dias antes e depois da identificação da metade do ciclo.

Para conhecer e aplicar o método da tabelinha, utilize corretamente uma calculadora da ovulação e fique atenta para não cair nos mitos sobre o período fértil.

Mitos e verdades sobre o período fértil

Esclarecemos alguns mitos e verdades para não se deixar enganar sobre informações incorretas sobre o período fértil, já que ainda há muita confusão sobre a veracidade dessas colocações. Confira:

É possível engravidar sem estar ovulando

Mito. Para haver fecundação, a mulher necessariamente precisa estar ovulando ou manter relações sexuais em alguns dias anteriores, ou posteriores à ovulação.

O que pode acontecer é a mulher engravidar em qualquer momento do mês, em decorrência de alterações hormonais e outros fatores, o que a fará ovular fora do seu período comumente estabelecido.

Além disso, algumas mulheres apresentam ovulação em picos de adrenalina, o que indica também que elas podem vir a ovular mais de uma vez em um mesmo ciclo.

O espermatozoide se mantém vivo no corpo da mulher apenas no período fértil

Mito. O tempo de sobrevida do espermatozoide no organismo da mulher pode chegar a até cinco dias, dependendo do caso. Por isso, a sobrevida do espermatozoide pode se estender além do período da ovulação e levar a uma gravidez inesperada.

A temperatura corporal da mulher aumenta durante o período fértil

Verdade. Durante a ovulação, a temperatura corporal basal, isto é, a temperatura do corpo em repouso, tende a aumentar.

Embora seja um aumento aparentemente imperceptível, pode ser comprovado com a ajuda de um termômetro preciso.

Há evidentes alterações no muco cervical durante a ovulação

Verdade. Durante todo o ciclo menstrual, a mulher apresenta uma variação quanto ao tipo e quantidade de muco cervical, que corresponde a uma secreção produzida pelas glândulas do colo do útero.

Geralmente, nos dias anteriores à ovulação, o muco cervical apresenta maior transparência e elasticidade, de aspecto muito parecido à clara de ovo.

A tabelinha é sempre o melhor método para medir a ovulação

Mito. Nem sempre a tabelinha é considerada a melhor opção para identificar o período da ovulação, principalmente quando a mulher não apresenta um ciclo menstrual regular em consequência de alterações hormonais decorrentes de fatores emocionais, picos de adrenalina ou outras diversas questões que interferem na regularidade do ciclo.

No entanto, para outros casos, esse é um método que funciona de forma muito eficaz a vida toda. Lembre-se que cada caso é único e deve ser analisado com minuciosidade.

Fique atenta!

Depois dessas orientações, ficou mais fácil acompanhar o ciclo menstrual com maior esclarecimento, não é mesmo?                                   

Lembre-se sempre de buscar fontes consideradas para suas pesquisas na web. Para adquirir informações confiáveis, opte por conteúdos elaborados por clínicas e profissionais especializados no assunto.

Acesse o blog da Fecondare para ficar por dentro de conteúdos completos sobre fertilidade em geral.

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Dr. Ricardo Nascimento - Ginecologista - CRM-SC 3198 e RQE 2109
Formado em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina, em 1981. Residência Médica na Maternidade Carmela Dutra- Secretaria Estadual de Saúde-SC, Especialização em Reprodução Humana na Universidade Federal do Paraná.

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter!

(48) 3024-2523

Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

Termos e Serviços
2020 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
Desenvolvido por esaude