Publicado em 20/01/2021

O que significa não ovular?

o-que-significa-nao-ovular

Mulheres em plena idade reprodutiva podem, de uma hora para a outra, parar de menstruar. Descartada a hipótese de gravidez, surge uma preocupação: seria menopausa precoce? Dificilmente. Na verdade, diversas condições clínicas podem levar à chamada anovulação, que significa não ovular.

Neste artigo, mostramos o que pode levar à anovulação e qual o tratamento indicado. Entenda, também, a relação entre menstruação e ovulação, bem como ovulação e gestação.

O que é a ovulação?

A ovulação é um evento cíclico, que ocorre, em média, uma vez por mês. Trata-se da liberação do óvulo, por um dos ovários, em direção à tuba uterina, onde fica disponível para a fecundação.

As mulheres nascem com um número finito de ovócitos (óvulos imaturos) — diferente dos homens, que produzem novos espermatozoides continuamente. A partir do momento que as meninas entram na fase reprodutiva, elas começam a passar por variações hormonais produzidas pela glândula hipófise (localizada no cérebro).

A hipófise é a responsável pela produção dos hormônios LH e FSH, essenciais no ciclo menstrual. O processo ocorre da seguinte maneira:

  1. primeiro, o FSH estimula o amadurecimento dos folículos primordiais (ovócitos circundados por uma camada de células epiteliais);
  2. os folículos primários passam a produzir estrogênio, hormônio que faz com que um desses folículos se torne dominante (os demais atrofiam);
  3. logo antes da ovulação, a hipófise inicia a produção do LH, hormônio que estimula o amadurecimento do ovócito;
  4. uma vez maduro, o folículo se rompe e o óvulo é liberado para a tuba uterina (nessa fase, o organismo da mulher está pronto para a fecundação).

Qual é a relação entre ovulação e menstruação?

A menstruação nada mais é do que uma ovulação não fecundada. Uma mulher que costuma ficar sem menstruar por meses, sem qualquer previsibilidade de quando terá uma nova menstruação, pode ter ciclos anovulatórios (sem ovulação).

No entanto, mesmo que uma mulher não menstrue, ela pode ovular. Os folículos primordiais podem existir — apenas não estão conseguindo amadurecer.

Qual é a relação entre a ovulação e gravidez?

A relação entre ovulação e gravidez é direta. Somente quando se está ovulando normalmente é possível engravidar pelas vias naturais. Assim, para menstruar é preciso ovular. Ou seja, é preciso que o óvulo maduro tenha ido para a tuba uterina e não tenha sido fecundado.

Por outro lado, existem quadros nos quais as mulheres têm sangramentos vaginais escuros, escassos e indolores (sem cólica menstrual),anormalmente rápidos ou prolongados. Nesses casos, trata-se de um sintoma sugestivo de ausência de ovulação.

Quais são as causas e tratamentos para a anovulação?

A anovulação ou disfunção ovulatória (em mulheres antes da menopausa) é uma anormalidade menstrual. O diagnóstico é dado com base no histórico clínico individual, medição dos níveis hormonais e ultrassonografia pélvica seriada.

O tratamento consiste no uso de indutores de ovulação, bem como no controle de doenças subjacentes. As causas da anovulação podem ser diversas, como uma síndrome dos ovários policísticos, amenorreia secundária, entre outras.

Síndrome dos ovários policísticos

A irregularidade menstrual ou amenorreia é um dos principais sintomas da síndrome dos ovários policísticos (a qual gera múltiplos cistos nos ovários). Ela decorre do excesso de produção de hormônios androgênicos (masculinos) pelo organismo.

Amenorreia secundária

amenorreia secundária consiste na ausência de menstruações regulares por um período igual ou maior que seis meses. Porém, mulheres com histórico de ciclos regulares devem se submeter à investigação a partir do terceiro mês sem menstruar.

A amenorreia pode tanto ser ovulatória como anovulatória. Nesse caso, a falta de ovulação é decorrente de anormalidades cromossômicas (como miomas e pólipos obstrutivos), de alterações congênitas que obstruem o fluxo menstrual ou, até mesmo, do uso de fármacos que afetam a dopamina (como alguns tipos de anti-hipertensivos, antipsicóticos, antidepressivos, opioides, bem como diversos alucinógenos).

A forma de tratamento da anovulação depende do que está causando o problema. Às vezes, a abordagem pode ser clínica (medicamentosa); em outras, cirúrgica. Já se houver o desejo de engravidar, a alternativa é a indução da ovulação.

Assim, mantenha sua rotina de consultas ginecológicas em dia. Se sua menstruação estiver irregular ou interrompida, o ginecologista pedirá alguns exames para avaliar como tratar a causa. Caso seja diagnosticada com anovulação e deseje engravidar futuramente, procure também um especialista em reprodução assistida. Esse profissional poderá sugerir a melhor estratégia para preservar sua fertilidade e ajudá-la a realizar o sonho de ser mãe!

Achou o artigo interessante? Então, siga nossas páginas no Facebook e Instagram para mais informações e recomendações de nossos especialistas!

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Dra. Ana Lúcia Bertini Zarth - Ginecologista - CRM-SC 8534 e RQE 10334
Formada na Faculdade de Medicina da PUC – RS em 1993, Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia, Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia, pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) em 1997.

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

    Assine nossa newsletter!

      (48) 3024-2523

      Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

      Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

      Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

      Termos e Serviços
      2021 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
      Desenvolvido por esaude