Publicado em 02/08/2021 - Atualizado 11/08/2021

Menstruação prolongada indica problemas para engravidar?

menstruacao-prolongada-indica-problemas-para-engravidar

A menstruação normal dura de dois a oito dias. Já a menstruação prolongada se caracteriza por sangramentos que duram mais de oito dias. Trata-se de um sinal que pode indicar distúrbios no sistema reprodutor feminino, levando, inclusive, a quadros de infertilidade. Por isso, é importante procurar um ginecologista e investigar suas causas o quanto antes.

Neste artigo, listamos as principais causas da menstruação prolongada e mostramos como elas podem estar por trás da dificuldade para engravidar. Para entender, continue a leitura!

O que caracteriza a menstruação prolongada?

A menstruação prolongada pode ser crônica ou aguda. Quando aguda, existe algum fator responsável por fazer com que ela dure mais do que o habitual. É o que relatam algumas mulheres após tomar pílula do dia seguinte.

Já para a menstruação prolongada ser considerada crônica, é preciso que um ou mais dos seguintes critérios esteja alterado, pelo menos, ao longo dos últimos seis meses:

  • frequência, com intervalos menores do que 24 dias entre os ciclos menstruais;
  • regularidade, com variação entre o tamanho dos ciclos maior que nove dias;
  • duração, com sangramentos que perduram por mais de oito dias;
  • volume, excedendo 80 ml por ciclo — o que é difícil de estimar, mas que pode ser baseado na percepção da própria mulher sobre a quantidade de fluxo.

Quais são as possíveis causas da menstruação prolongada?

As causas da menstruação prolongada podem ser diversas. Para fazer o diagnóstico, os médicos se baseiam no sistema PALM-COEIN, da Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO).

Essa classificação engloba causas estruturais, as quais são visualizadas por meio de exames de imagem, e não estruturais, identificadas a partir de exames de sangue. São elas:

  • pólipos uterinos do tipo endometrial, que aumentam o sangramento e a duração da menstruação;
  • adenomiose uterina, ligada a fluxos intensos e cólicas fortes, além de sangramentos fora do período menstrual;
  • miomas uterinos, principalmente os submucosos (localizados na parte interna do útero),associados à menstruação prolongada, com fluxo intenso e irregular;
  • tumores (câncer) e certas DSTs (como a gonorreia),por provocarem sangramentos;
  • coagulopatias (como hemofilia, doenças hepáticas, leucemia, etc),por aumentarem o sangramento;
  • disfunções ovulatórias, ligadas ao aumento do fluxo menstrual e diminuição da frequência;
  • endometriose, que gera cólicas intensas, ciclos encurtados, fluxo aumentado e duração prolongada;
  • iatrogenia, ou seja, situações causadas por tratamentos e/ou intervenções médicas, tais como uso de anticoagulantes, terapia hormonal, uso do DIU de cobre, entre outras.

Quais dessas causas podem ter a ver com a infertilidade?

Diversas causas ligadas à menstruação prolongada também podem levar a quadros de infertilidade. Os pólipos uterinos, por exemplo, dependendo do tamanho e localização, bloqueiam a passagem dos espermatozoides ou podem atrapalhar a implantação do embrião. Além disso, podem agravar outros problemas hormonais, afetando o ciclo menstrual e, consequentemente, prejudicando a fertilidade.

Já a adenomiose pode atrapalhar a concepção, assim como ocorre com os miomas. Esses, aliás, também aumentam os riscos de ter complicações na gestação, inclusive, de abortamento.

No caso do câncer são os respectivos tratamentos que podem levar à infertilidade, sendo recomendado adotar medidas preventivas antes de iniciá-los (como o congelamento de óvulos). Por fim, a endometriose também pode provocar infertilidade, principalmente em casos avançados.

Quando é necessário buscar ajuda médica?

Caso você tenha menstruação prolongada, converse com seu ginecologista. Ele ouvirá suas queixas, questionará sobre o histórico clínico pessoal e familiar e fará um exame físico.

Também é provável que colha material para o Papanicolau ou para a colposcopia. Além disso, pode solicitar exames complementares, baseando-se nas hipóteses levantadas na anamnese. Os mais comuns são:

  • exames de sangue, para avaliar a coagulação, a parte hormonal e se existe déficit de ferro ou anemia;
  • exames de imagem, como ultrassonografia transvaginal, histeroscopia, ressonância magnética, biópsias do endométrio, entre outros.

Para concluir, a menstruação prolongada, além de interferir na qualidade de vida da mulher, pode indicar problemas para engravidar — pois, como mostrado, diversas condições relacionadas ao sintoma também prejudicam a fertilidade. Portanto, não ignore o problema: caso você tenha sangramentos superiores a oito dias, procure seu ginecologista. Com os laudos em mãos e considerando se você tem, ou não, desejo de engravidar no futuro, o especialista indicará o tratamento mais adequado.

Gostou do conteúdo? Para saber tudo sobre saúde reprodutiva, siga a Fecondare no FacebookInstagram e Youtube!

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Dra. Ana Lúcia Bertini Zarth - Ginecologista - CRM-SC 8534 e RQE 10334
Formada na Faculdade de Medicina da PUC – RS em 1993, Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia, Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia, pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) em 1997.

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

    Assine nossa newsletter!

      (48) 3024-2523

      Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

      Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

      Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

      Termos e Serviços
      2021 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
      Desenvolvido por esaude