Publicado em 01/06/2020 - Atualizado 29/06/2020

Alimentos que aumentam os hormônios femininos

alimentos-que-aumentam-os-hormonios-femininos

Manter uma alimentação destinada a aumentar os hormônios femininos em desequilíbrio é uma ação fundamental que deve ser adotada por toda mulher que busca manter sua fertilidade saudável. 

Os hormônios são substâncias fundamentais para regular as diversas funções orgânicas, responsáveis pela integração correta da atividade de sistemas e subsistemas do organismo.

Dessa forma, quando falamos de hormônios femininos, estamos falando de substâncias indispensáveis para equilibrar as funções específicas do organismo da mulher, como a menstruação e a gravidez. 

Existem algumas formas de mantê-los regulados e em perfeito funcionamento e a alimentação é uma dessas fontes. Graças a ingestão de determinados alimentos, o organismo pode manter-se muito bem adequado aos níveis hormonais considerados saudáveis.

Por isso, se o intuito é aumentar a fertilidade para engravidar, é fundamental que seja realizado um acompanhamento regular com um ginecologista e um nutricionista. Assim, será possível seguir uma dieta prescrita para aumentar as chances de engravidar, conforme o equilíbrio dos hormônios a partir da ingestão de alimentos.

Leia o artigo e conheça mais sobre esses hormônios, assim como a listagem dos alimentos que contribuem para o aumento da fertilidade feminina.

Aumentar os hormônios femininos pela alimentação

Com a chegada da menopausa, naturalmente, os hormônios femininos tendem a diminuir. Felizmente, os incômodos provocados pela menopausa podem ser amenizados por meio de uma alimentação balanceada com nutrientes importantes. 

Mas além da alimentação balanceada ser muito eficaz para auxiliar na menopausa, a ingestão de determinados alimentos também pode ser de grande ajuda para as mulheres que desejam engravidar.

Conheça alguns nutrientes essenciais que ajudam a mulher a manter sua saúde hormonal em dia e colaborar com o bom funcionamento das glândulas hormonais.  

Vitaminas

As vitaminas são fundamentais para a regulação dos hormônios. Muitas delas podem ser encontradas em diversos alimentos:

  • vitamina D3: óleos vegetais e castanha-do-pará são ricas em vitamina D3, responsáveis por reforçar a ação do sistema imunológico e melhorar a absorção de cálcio;
  • vitamina C: encontrada nas frutas cítricas, a vitamina C é importante para a síntese dos hormônios ovarianos;
  • vitamina B6: ovos, cereais integrais e grãos em geral auxiliam na melhoria do bem estar, além de consistir na importante formação de neurotransmissores, como o triptofano.

Ácido fólico

Os vegetais verde escuros são alimentos ricos em ácido fólico e ajudam na reposição do DNA, além de diminuir os riscos de desenvolver câncer de mama.

Além disso, vegetais de folhas escuras como espinafre, alface, rúcula e brócolis são ricos em folato e Vitamina B9, responsáveis por melhorar a ovulação.

Por isso, é muito importante que tanto a mulher, quanto o homem que desejam engravidar inclua esses alimentos da dieta. Assim, os homens tendem a produzir espermatozoides mais saudáveis, o que diminui as chances de aborto espontâneo e a incidência de problemas genéticos para o bebê.

Zinco

Frutos-do-mar e peixes em geral são ricos em zinco, que auxilia na síntese dos hormônios responsáveis por regular as funções ovarianas, principalmente o estrógeno.

Magnésio e Ferro

Fontes ricas em magnésio consistem nos grãos, cereais integrais, sementes oleaginosas e beterraba. O magnésio atua no bom humor, na formação de neurotransmissores e no relaxamento muscular.

O ferro também é um componente fundamental para as mulheres que querem engravidar, já que estimula a fertilidade. Inclusive, as sementes de abóbora são uma fonte rica de um tipo de ferro encontrada em determinados alimentos vegetais.

Cálcio

O leite e seus derivados, assim como vegetais verdes são ricas fontes de cálcio, que é importante na contração muscular e na manutenção da massa óssea. 

Além disso, uma porção diária de leite integral ou produtos lácteos integrais são capazes de proporcionar uma melhor ovulação. 

Como uma dieta pode ajudar as mulheres que querem engravidar?

É importante orientar que a inclusão desses e de diversos outros alimentos, indicados por um profissional, é uma ação auxiliar para manter os hormônios femininos regulados, de uma forma geral. 

Dessa forma, são considerados importantes para a mulher que deseja aumentar a sua fertilidade também por meio de uma dieta alimentar.

Assim, o organismo da mulher se mantém saudável e, consequentemente, os hormônios femininos colaboram para proporcionar uma gravidez com menos riscos para a mãe e o bebê.

“O mais relevante é manter-se no peso ideal, visto que os extremos do peso são muito deletérios para a função ovariana”, ressalta o Dr. Jean Louis Maillard, ginecologista da Fecondare.

Conheça agora os principais hormônios femininos e de que forma ajudam na concepção de um bebê:

Principais hormônios femininos: quais são eles?

Para compreender melhor sobre a alimentação e o equilíbrio hormonal no organismo feminino, é preciso conhecer sobre os hormônios femininos.

Consideramos como os principais hormônios femininos o estrógeno e a progesterona, responsáveis pelo funcionamento adequado da capacidade reprodutiva da mulher

Além disso, embora seja produzido em menores quantidades, a testosterona também corresponde a um hormônio fundamental para a saúde da mulher. 

Estrogênio

O estrogênio é considerado o principal hormônio feminino. Atua como papel importante na formação de características femininas, assim como na regulação do ciclo menstrual e preparação para o corpo durante a gravidez, além de atuar em outras funções importantes para o organismo da mulher

Por exemplo, o estrogênio também atua na manutenção da integridade óssea e na regulação dos níveis de colesterol. Esse hormônio gerado pelos ovários começa a ser produzido na primeira menstruação e reduz sua intensidade ao chegar na menopausa.

Progesterona

O hormônio folículo estimulante (FSH) é produzido pela hipófise, uma glândula importante localizada na base do cérebro. O FSH estimula as células do folículo ovariano que, consequentemente, produzem o estrógeno. 

Ao atingir valores específicos, o hipotálamo passa a secretar o hormônio luteinizante (LH) a fim de liberar o óvulo por meio dos ovários. Assim sendo, o folículo ovariano sofre uma transformação no corpo lúteo e passa a produzir progesterona.

A progesterona é responsável por atuar em união com o estrogênio, de forma a preparar o organismo para a gestação

Também atua de maneira importante na regulação de um ciclo menstrual saudável. Com a chegada da menopausa, a produção da progesterona também diminui consideravelmente.

Testosterona

Embora seja produzido em pequenas quantidades no corpo feminino, a testosterona também é produzida pelos ovários, auxiliando no crescimento ósseo e muscular.

Consulte um especialista

De qualquer forma, é importante considerar que cada caso deve ser analisado individualmente e uma dieta deve ser prescrita após uma consulta com um especialista

Lembre-se de consultar um endocrinologista para avaliação dos seus níveis hormonais e indicação de uma reeducação alimentar que atenda seus objetivos, após a realização de exames específicos.

Acompanhe nosso blog para saber mais sobre a importância dos hormônios na saúde reprodutiva das mulheres.

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Dr. Marcelo Costa Ferreira - Ginecologista - CRM/SC 7223 e RQE 2935
Formado em Medicina pela FURB, Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia, Especialização em Reprodução Humana no Centro de Referência da  Saúde da Mulher em São Paulo e Especialização em Reprodução Assistida

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter!

(48) 3024-2523

Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

Termos e Serviços
2020 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
Desenvolvido por esaude