09/05/2019

Hormônios envolvidos na gravidez

hormonios-envolvidos-na-gravidez

Dentre as várias mudanças provocadas no corpo da mulher durante o período gestacional, uma das que podem ser facilmente percebidas, tanto física quanto emocionalmente, são as alterações nos hormônios femininos. Mas, antes de colocar a culpa de seu estresse nos hormônios, é preciso entender que essas mudanças são necessárias para garantir uma gravidez saudável. 

Os hormônios envolvidos na gravidez são produzidos pelo ovário ou pela própria placenta e atuam tanto na saúde da mãe quanto no desenvolvimento do bebê. Sem as alterações hormonais, a gravidez não seria possível. Por isso, durante o período gestacional é importante acompanhar de perto sua saúde hormonal. 

Conheça os principais hormônios da gravidez e saiba sua ligação com a infertilidade feminina.

Quais são os principais hormônios envolvidos na gravidez?

Muitas mulheres ainda têm dúvidas sobre o que acontece com o corpo delas durante a gestação, principalmente em se tratando de alterações hormonais. Para esclarecer essa dúvida, listamos os principais hormônios envolvidos na gravidez. Confira!

Progesterona

Produzida pelo ovário, a progesterona desempenha um papel extremamente importante na gravidez, sobretudo no primeiro trimestre, quando este hormônio é responsável por manter o metabolismo da gestação. 

A progesterona também desempenha outras funções na gravidez, como relaxamento na musculatura do útero, crescimento da pelve e aumento da pelve para facilitar a passagem do bebê na hora do parto. 

Quando a mulher está grávida, as taxas de progesterona podem aumentar em até 10 vezes. Esse aumento quase que repentino provoca alguns efeitos colaterais, como enjoos, sonolência, vômitos e alterações no humor.

Estrogênio

Com atuação no sistema circulatório da mulher, o estrogênio é responsável pela dilatação dos vasos sanguíneos, preparando o corpo da mulher para o aumento na quantidade de sangue no sistema vascular. 

Assim como a progesterona, o estrogênio também promove o crescimento dos seios e aumento da pelve. A produção do hormônio acontece de maneira acentuada na gravidez, podendo aumentar cerca de 30 vezes. 

Os principais efeitos provocados por esse aumento incluem dores de cabeça e maior tendência a sentir calor. 

HCG

O hormônio beta-HCG começa a ser produzido logo após a concepção e, associado à progesterona, também é fundamental para o primeiro trimestre gestacional. O HCG é produzido pelo trofoblasto, um grupo de células do embrião que origina a placenta. Sua quantidade aumenta gradativamente conforme o desenvolvimento da placenta e do feto, podendo dobrar a cada dois dias, no início da gestação.

No feto, o HCG estimula a produção de testosterona, importante para a diferenciação sexual do feto do sexo masculino. Além disso, esse hormônio é um importante indício para detectar a gravidez, já que a alta dosagem pode indicar o início de uma gestação.

Prolactina

Produzida pela placenta, a prolactina tem a função de estimular as glândulas mamárias para produzir leite, sendo um importante hormônio para garantir a boa amamentação do bebê. O hormônio começa a agir na gestante após o segundo trimestre de gravidez, mas sua  liberação só acontece após o parto, quando a produção de estrogênio cessa e cede espaço à produção da prolactina. 

Alguns dos efeitos provocados pela prolactina são a redução da libido e ressecamento da vagina. Mas, depois de alguns meses depois do parto, o organismo começa a voltar ao normal e esse sintomas somem gradativamente. 

A infertilidade pode estar ligada à desregulação hormonal?

Muitas mulheres têm dificuldade para engravidar devido à desregulação hormonal. Em muitos casos, esses problemas podem ser tratados com o auxílio de medicamentos específicos que ajudam a estimular a produção hormonal, sobretudo da progesterona, hormônio essencial para que a gravidez aconteça. 

Para descobrir se a causa da infertilidade está ligada à desregulação hormonal, o mais recomendado é procurar um médico para realizar a avaliação hormonal. Essa avaliação é fundamental para quem está tendo dificuldades para engravidar. 

Quer ficar por dentro de mais conteúdos como este? Assine nossa newsletter para receber mais informações sobre reprodução humana diretamente em sua caixa de e-mail. 

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Dra. Ana Lúcia Bertini Zarth - Ginecologista - CRM-SC 8534 e RQE 10334
CRM 8534 e RQE 10334  Ginecologista Formada na Faculdade de Medicina da PUC – RS em 1993; Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital São Vicente de Paula, Passo Fundo – RS. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia, pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) em 1997. Fellow em Reprodução Assistida pela […]

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter!

(48) 3024-2523

Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

2019 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
Desenvolvido por esaude