Publicado em 19/02/2021

4 sinais de infertilidade masculina

4-sinais-de-infertilidade-masculina

Para ser considerado infértil, um casal em idade reprodutiva precisa estar há, pelo menos, um ano tentando engravidar sem sucesso. Apesar de ainda causar espanto, a infertilidade atinge de 10 a 15% dos casais em todo o mundo, em torno de 100 a 150 milhões de pessoas. Descartando a probabilidade de o distúrbio estar ligado ao aparelho reprodutor feminino, a dificuldade para a concepção se torna o mais importante indicativo de infertilidade masculina. No entanto, ele não é o único.

Neste artigo, mostramos os principais sinais da infertilidade masculina. Conheça-os e veja porque o diagnóstico precoce é tão importante para quem deseja ter seus próprios filhos.

Principais sinais da infertilidade masculina

Segundo a Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASMR, na sigla em inglês),a infertilidade não é um inconveniente, mas uma condição que atinge o sistema reprodutor. Ela se manifesta como uma interrupção ou um distúrbio das funções, sistemas ou órgãos reprodutivos, impedindo o corpo de realizar a reprodução.

A infertilidade masculina está presente na metade dos casais inférteis, um percentual elevado. Alguns sinais do problema podem ser identificados por meio do histórico do paciente, da anamnese e de exames físicos e laboratoriais (análises seminais, com foco na morfologia, concentração e motilidade dos espermatozoides). São indicativos importantes:

  1. Um ano ou mais detentativas frustradas para engravidar;
  2. Varicocele, um tipo de dilatação nas veias dos testículos, deixando-as parecidas com varizes;
  3. Alterações noespermograma;
  4. Deficiência detestosterona, hormônio ligado à função sexual e à fertilidade, sinalizada por perdas de pelo na face e no corpo, bem como pela redução no tamanho dos testículos.

Exames para diagnosticar a infertilidade masculina

Os principais exames para diagnosticar a infertilidade masculina são o exame físico do saco escrotal e o espermograma. No entanto, não é o número de espermatozoides, mas sim sua capacidade funcional (potencial de motilidade, de penetração etc) que determina o prognóstico da fertilidade no homem.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS),a partir de exames realizados com marcadores de função espermática em sêmen fresco ou congelado (criopreservado),consideram-se anormais para a fertilidade os seguintes resultados:

  • volume da ejaculação com menos de 2,0 ml;
  • concentração de espermatozoides inferior a 20 milhões por ml;
  • contagem total de espermatozoides menor que 40 milhões;
  • motilidade dos espermatozoides abaixo de 50%;
  • morfologia espermática com formas normais inferiores a 30%.

Mas atenção: a análise seminal não equivale a um teste de fertilidade. A avaliação da fertilidade deve ser multifatorial, pois se trata de um fenômeno complexo, com variáveis que, quando associadas, reduzem o potencial fértil.

Sendo assim, além desses testes, outros exames complementares podem ser solicitados. Se não forem encontrados espermatozoides na amostra de sêmen, por exemplo, o médico pode pedir uma biópsia testicular.

Tratamentos para a infertilidade masculina

Antes de pensar em tratar a infertilidade, é preciso investigar se existe alguma doença sistêmica que esteja afetando o sistema reprodutivo, como um câncer (de testículo, próstata etc),por exemplo. Caso haja, é ela que deve ser tratada.

Já se a infertilidade masculina for, em si, a doença causadora da dificuldade para a concepção, a medicina reprodutiva oferece diversas opções de tratamentos. A indicação varia em função das causas do problema e do quadro clínico do casal, sendo a fertilização in vitro (FIV) e a injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI) os mais realizados.

Esses tratamentos de reprodução assistida permitem que homens com diagnóstico de azoospermia (sêmen sem espermatozoides),cujo uso de medicamentos não foi efetivo, tenham chances de ter filhos. O mesmo ocorre com aqueles diagnosticados com infertilidade idiopática, a qual não pode ser diagnosticada. Exemplos não faltam.

Para concluir, é extremamente importante ficar atento a qualquer sinal anormal relacionado à saúde sexual e reprodutiva. Muitas vezes, a infertilidade masculina tem tratamento — mas para o prognóstico ser o mais favorável possível, quanto mais cedo o distúrbio for diagnosticado, melhor. Assim, não perca tempo e procure ajuda de um especialista em reprodução humana!

Gostou do conteúdo? Então, aproveite para seguir a Fecondare no Facebook e Instagram e não perca nenhuma publicação!

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Dr. Marcelo Costa Ferreira - Ginecologista - CRM/SC 7223 e RQE 2935
Formado em Medicina pela FURB, Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia, Especialização em Reprodução Humana no Centro de Referência da  Saúde da Mulher em São Paulo e Especialização em Reprodução Assistida

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

    Assine nossa newsletter!

      (48) 3024-2523

      Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

      Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

      Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

      Termos e Serviços
      2021 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
      Desenvolvido por esaude