Vitamina D e infertilidade masculina

Publicado em: 19 de julho de 2011

Vitamina D e infertilidade masculina

O receptor de Vitamina D (VDR) tem expressão nos testículos humanos e a Vitamina D, de acordo com observações, parece que afeta a sobrevivência e a função dos espermatozóides maduros. De fato, camundongos que apresentam a deficiência de um ou de outro mostram diminuição na contagem de esperma e baixa fertilidade. No entanto, a resposta celular à Vitamina D é complexa, pois não é unicamente dependente da expressão do VDR, mas também da captação celular da Vitamina D circulante e da presença e da atividade das enzimas metabolizadoras desta vitamina.Recentemente foram feitas investigações, entre outras,  sobre a expressão das enzimas metabolizadoras da Vitamina  D para entender-se a relação entre essa vitamina e a fertilidade masculina.

Um estudo da Universidade de Copenhagen, Dinamarca, utilizou amostras de tecidos de pacientes pós-orquietomia, prostatectomia e amostra de sêmen de pacientes após a ejaculação para analisar a expressão do VDR e das enzimas ativadoras e inativadoras da Vitamina D nos testículos, epidídimo, vesícula seminal e nos espermatozóides. Por meio dos resultados obtidos, os pesquisadores sugeriram que a Vitamina D é importante para a espermatogênese e maturação dos espermatozóides humanos.

Esses mesmos pesquisadores chegaram, por meio de outro estudo, à conclusão de que, além das contribuições supracitadas, a concentração de Vitamina D no soro pode estar associada ao aumento intracelular de cálcio no espermatozóide humano, o que, consequentemente, influencia na motilidade dele.

Entretanto, essas conclusões vão de encontro às obtidas por  pesquisadores da Universidade de Aarhus, Suécia, que estudaram a associação dos níveis de Vitamina D no soro e a qualidade do sêmen em homens adultos saudáveis. Os resultados desse estudo não demonstraram nenhum indicativo de que baixos níveis de Vitamina D sejam um fator de risco para baixa qualidade do sêmen numa população como a em estudo. No entanto, salientaram que eles podem não ter tido uma amostra significativa de homens com níveis baixos de Vitamina D para poder detectar algum efeito na população estudada (a amostra foi de 307 homens).

Tais estudos atentam para a necessidade de aprofundamento do tema, com a realização de  pesquisas posteriores em populações nas quais haja uma maior proporção de homens com baixos níveis de Vitamina D, dada sua significância para o entendimento de uma das razões que podem contribuir para a infertilidade masculina.

Dr. Alberto Ambrogini, da Clínica Fecondare, ressalta que um “boom” de artigos sobre aplicabilidades de reposição de vitamina D tem sido publicada nas mais diversas áreas. Ainda diz que saber o que passará pelo crivo do tempo e da análise de trabalhos mais bem desenhados é o que a comunidade médica e científica deseja saber. “Existe a associação entre estabilidade cromossômica e vitamina D com real impacto nas áreas de reprodução humana e oncologia, mas não há consenso sobre qual o nível de vitamina D a ser atingido para a obtenção dos efeitos benéficos”, conclui o Dr. Ambrogini.

Artigo elaborado pela equipe Fecondare em parceria com a E-saúde.

Conteúdo atualizado em: 3 de Maio de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: