Inseminação artificial

Por   Equipe Fecondare

O ciclo menstrual de uma mulher fértil dura, aproximadamente, um mês. Nesse período, sob a influência dos hormônios naturais do corpo, um folículo contendo um óvulo cresce até atingir cerca de 20 milímetros. Isso ocorre por volta da metade do ciclo, quando o óvulo é liberado — dando início à ovulação. Uma vez pronto para a fertilização, ele passa pelas tubas uterinas e espera a chegada do esperma.

No entanto, devido a problemas de infertilidade, isso nem sempre acontece. Dependendo da causa, a melhor maneira de viabilizar a concepção é a inseminação artificial. Para saber mais, continue a leitura!

Inseminação artificial

Como é feita a inseminação artificial?

A inseminação artificial é um método de reprodução humana assistida. Realizada em clínicas de fertilização, a  técnica consiste, basicamente, na introdução de espermatozoides no fundo do útero, para facilitar a fecundação do óvulo. Os espermatozoides podem ser:

  • oriundos do homem que está realizando o tratamento com a parceira;
  • de um doador anônimo, sendo adquiridos em um banco de sêmen.

Geralmente, recorre-se ao banco de sêmen quando há ausência de espermatozoides na ejaculação do companheiro e nem é possível captá-los, diretamente, do testículo. Nesse caso, recomenda-se dar preferência a doadores com características físicas semelhantes as dos homens para quem, tecnicamente, serão destinadas às doações.

Além disso, o banco de sêmen é uma opção para quem deseja engravidar sem ter um parceiroA amostra de esperma preparada no laboratório é avaliada em termos de qualidade e quantidade. Posteriormente, é colocada em uma seringa acoplada a um cateter e introduzida no útero, para seguir o caminho pela tuba uterina.

Quais são as chances de engravidar por inseminação artificial?

O objetivo da inseminação artificial é deixar os espermatozoides mais próximos do óvulo, para que a concepção, a partir desta etapa, ocorra da forma mais natural possível. Sendo assim, o procedimento facilita a fecundação, mas não garante que a concepção irá acontecer.

Vale lembrar que a fertilidade feminina diminui, rapidamente, depois dos 35 anos. Esse é mais um motivo para que os casais, ao perceberem que estão com dificuldade para engravidar, procurem tratamento adequado.

Segundo os especialistas, as taxas de sucesso das técnicas de reprodução assistida variam de 35% a 60%. Para quem foi diagnosticado como infértil, esse percentual, ainda que não sejam 100%, é suficiente para renovar as esperanças.

Qual é a diferença entre inseminação artificial e fertilização in vitro?

A diferença básica entre a inseminação artificial e a fertilização in vitro é onde ocorre a fecundação. Na inseminação, o embrião é formado na própria mulher; já na fertilização, ele é formado em laboratório e implantado no útero, somente, após a fecundação.

No mais, a fertilização in vitro também é uma técnica de reprodução humana assistida. Ela pode ser feita de duas maneiras: convencional ou por intermédio da Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides (ICSI, na sigla em inglês), na qual é preciso um único espermatozoide para a fecundação.

Para quem a inseminação artificial é indicada?

Recomenda-se que quem esteja tentando engravidar, sem sucesso, há pelo menos 1 ano, procure ajuda médica. A inseminação artificial é uma das possíveis técnicas de reprodução assistida. Ela é especialmente indicada para casais em que o homem com alterações nos espermatozoides ou a mulher que tem alterações uterinas, como a endometriose.

Mas a escolha mais adequada depende das razões pelas quais o casal não consegue engravidar naturalmente. Por isso, é indispensável fazer uma investigação com um profissional.

Que tipo de especialista faz a inseminação artificial?

ginecologista obstetra especialista em reprodução assistida é quem faz a inseminação artificial. Para obter essa especialização, é necessária uma década (ou mais) de estudos. Nesse período, ele precisa se graduar em medicina, fazer residência em ginecologia-obstetrícia e se especializar em reprodução humana.

Com esse currículo, o médico é capacitado a diagnosticar as causas da infertilidade nos casais e indicar os tratamentos mais adequados. Muitas vezes, aliás, contando com a colaboração de uma equipe multidisciplinar.

Qual é o valor da inseminação artificial?

O valor da inseminação artificial varia de clínica para clínica. De maneira geral, o custo é relativamente acessível, sendo bem mais barato do que na fertilização in vitro.

Por outro lado, na inseminação artificial há o risco aumentado de gestação múltipla. E, convenhamos, dois ou mais bebês alteramo planejamento familiar. Por isso mesmo, o Conselho Federal de Medicina (CFM) limita a quantidade de embriões:

  • mulheres até 35 anos de idade podem ter até dois embriões transferidos;
  • nas com idade entre 36 e 39 anos, pode-se transferir até três;
  • naquelas com mais de 40 anos, o limite é de quatro.

inseminação artificial já transformou muitos casais incapazes de ter filhos naturalmente em pais. Por isso, em caso de suspeita de infertilidade, busque a ajuda de um especialista em reprodução humana. Com o diagnóstico preciso do problema, é possível dar início ao tratamento mais adequado e, finalmente, engravidar!

Para saber qual é a melhor estratégia para o seu caso, faça uma avaliação individual. Agende uma consulta com os especialistas em reprodução assistida da Fecondare, em Florianópolis!

E-books

Tire suas dúvidas sobre reprodução assistida nos e-books elaborados por nossa equipe.

Ver todos

Assine nossa newsletter!

    Agende uma consulta

    Faça seu pré-agendamento on-line com agilidade e praticidade, é só preencher seus dados.