13/02/2020

Saúde mental e gravidez: como conciliar os dois

saude-mental-e-gravidez-como-conciliar-os-dois

Abordar a relação entre saúde mental e gravidez é de extrema importância para as gestantes e para as mulheres que desejam engravidar. Esse é um assunto fundamental e deve ser levado a sério, pois caso a mulher passe por desequilíbrios emocionais durante a gestação, podem surgir complicações.

Ouça este conteúdo:

 

Leia o artigo e descubra a importância de cuidar da saúde mental durante o período gestacional:

Saúde mental e gravidez devem andar juntos

É impossível negar que a gestação é um momento muito feliz na vida das mamães, sendo que várias delas conseguem vivência-lo de maneira feliz e natural. Porém, uma quantidade significativa de mulheres não conseguem conciliar a saúde mental e a gravidez.

É o que apontam os estudos da Agency for Healthcare Research and Qualityque apontam que cerca de 18% das mulheres sofrem de depressão durante a gravidez e 19% das mulheres apresentam um quadro de depressão durante os três meses após o parto.

Isso acontece porque, durante a gravidez, a mulher experimenta diferentes intensidades de emoções, em decorrência da mudança hormonal que ocorre no organismo.

Além disso, a sensação de se tornar mãe pode ser muito impactante para as mamães de primeira viagem.

Por que as gestantes estão mais suscetíveis aos distúrbios psicológicos?

Durante a gravidez, a mulher se depara com um cenário completamente novo que lhe pede adaptações significativas no seu modo de vida. Aprender o exercício de ser mãe e conhecer a melhor de cuidar de uma criança pode gerar ansiedade e estresse em vários casos.

É certo que essas preocupações sobre a saúde e os cuidados do bebê, além do seu próprio bem-estar e transformações na vida e no corpo, são totalmente comuns entre as gestantes.

Mas, em alguns casos, esses sentimentos podem extrapolar e representar um verdadeiro desequilíbrio. Quando isso acontece, é possível que a mãe desenvolva determinadas síndromes e crises de ordem mental, prejudicando a saúde mental e gravidez.

Além disso, estudo da King’s London College na Inglaterra, também identificaram casos de transtornos alimentares, como bulimia e anorexia em 2% das gestantes, além de outras doenças menos recorrentes, como os transtornos obsessivo-compulsivo, bipolaridade e pós traumático.

Mas e quando o desequilíbrio acontece após o nascimento do bebê?

Depressão pós-parto e Baby Blues

Com os sentidos mais exacerbados, a mãe tende a ficar propensa à melancolia, onde as oscilações de humor se intensificam sem motivo aparente. Chamamos esse efeito de Baby Blues.

Após toda a despedida do bebê da barriga, o processo do parto e as novidades dos primeiros dias de vida de mãe, é completamente normal que a mulher experimente essas sensações durante alguns dias.

No entanto, esse cenário se torna preocupante quando o choro frequente, desânimo e insônia prolongam-se por mais dias ou até mesmo semanas. Nesse caso, é indicado que a mãe procure ajuda médica imediata, pois é provável que esteja desenvolvendo um quadro de depressão pós parto.

A importância de um acompanhamento psicológico

Seja durante a gravidez ou no pós-parto, é fundamental que a mulher e a sua família estejam atentos para a sua saúde mental e emocional. Certifique-se de que o médico que está acompanhando a gestação dedique atenção para essa questão.

Caso a gestação seja em decorrência de um tratamento de reprodução assistida, o acompanhamento psicológico deve ser ainda mais preciso para que a mulher entenda todo o processo de ser mãe com clareza e tranquilidade.

Nesse caso, certifique-se de que a clínica escolhida ofereça esse tipo de serviço como um pré-requisito do acompanhamento para a gestante.

Quais os perigos que o desequilíbrio emocional e mental podem causar a uma gravidez?

Os fatores emocionais e mentais de desequilíbrio influenciam diretamente nas condições físicas da mulher.

Isso acontece pois, sempre que a gestante vivencia situações de estresse, ansiedade ou angústia, há também redução na quantidade de sangue da placenta, causada pela vasoconstrição.

Inclusive, em casos extremos, isso pode levar à ruptura da bolsa, parto prematuro e causar o baixo peso do bebê.

Por isso listamos algumas atitudes importantes para manter a saúde da mamãe e do bebê em dia:

Cuidados para manter a saúde mental na gravidez

Para manter uma boa saúde mental durante a gravidez, a mamãe deve tomar alguns cuidados simples. Veja o que pode ser feito:

  • procurar atividades integrativas que ajudem a aliviar a ansiedade e estresse comum durante o período gestacional, como yoga, meditação, arte e terapias diversas que proporcionem acolhimento;
  • manter uma boa alimentação para nutrir-se com responsabilidade seguindo sempre as orientações médicas;
  • buscar viver momentos felizes, investir no bom humor e procurar estar com pessoas que lhe deem segurança e afeto;
  • manter uma rotina de exercícios físicos, de acordo com o prescrito pelo médico;
  • dormir bem, pois o sono restaura e renova as forças e condições psíquicas;
  • cuidar da sua autoestima, olhando com amor para as mudanças no corpo e mantendo uma rotina de autocuidado consigo mesma.

Além disso, é importante que as pessoas próximas, como companheiro e familiares ajudem a futura mamãe a se manter saudável.

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: E-saúde

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter!

(48) 3024-2523

Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

Termos e Serviços
2020 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
Desenvolvido por esaude