Publicado em 23/02/2021

Nódulos, cistos e miomas na mulher: entenda o impacto para a fertilidade

nodulos-cistos-e-miomas-na-mulher-entenda-o-impacto-para-a-fertilidade

Encontrar um “caroço”, seja se apalpando ou por meio da realização de exames (clínicos, de imagem ou laboratoriais),deixa qualquer uma preocupada — ainda mais quem está pensando em engravidar. Acontece que nem todos os achados são iguais. Para ajudá-la a entender as diferenças de cada diagnóstico, vamos mostrar como alguns dos principais tipos de nódulos, cistos e miomas podem afetar a fertilidade feminina.

Mas atenção: esse artigo traz um panorama genérico sobre o que costuma ocorrer em pacientes com esses achados. Para um diagnóstico individualizado, que possibilite o tratamento adequado, consulte sempre seu médico.

Qual é a relação entre nódulos e fertilidade?

Nódulos são lesões sólidas, bem delimitadas, com mais de 1 cm de diâmetro e formados por tecidos (epitelial ou conjuntivo). Os nódulos na tireoide são alguns dos nódulos mais recorrentes. Estima-se que 10% deles sejam malignos, mas a boa notícia é que a maioria dos cânceres de tireoide apresenta baixa agressividade.

Mas mesmo quando não são cancerígenos, essas lesões podem levar à disfunção tireoidiana. Isso gera alteração dos níveis de TSH, o que desencadeia quadros de hipotireoidismo ou hipertireoidismo, prejudicando a ovulação e a fertilidade feminina.

Qual é a relação entre cistos e fertilidade?

Cistos são sacos ou cavidades preenchidas por líquido e revestidas de tecidos, podendo ser neoplásicos ou não neoplásicos. A presença de pequenos cistos nos ovários pode ser um sintoma da síndrome dos ovários policísticos (SOP) — a qual, muitas vezes, é associada à dificuldade para engravidar.

Esse tipo de disfunção ovariana provoca desequilíbrios hormonais e altera a estrutura e o tamanho do órgão, levando à infertilidade. Na prática, uma mulher com SOP não ovula, ovula menos e sem regularidade.

A existência de um grande cisto no ovário (endometrioma ou cisto de chocolate) também tem relação com a infertilidade. Estima-se que entre 30 e 50% das mulheres com endometriose tenham dificuldade para engravidar, pois a doença afeta a pelve feminina dificultando a capacidade do ovulo ser fecundado.

Qual é a relação entre miomas e fertilidade?

O mioma uterino é um tumor benigno formado por tecido muscular ou fibroso, sendo que menos de 1% dos miomas se tornam cancerosos. Seu tamanho varia: pode ser microscópio ou grande como uma bola de basquete.

Trata-se de uma condição bastante frequente no aparelho reprodutor feminino. Por estar localizado dentro ou deformando a cavidade uterina, em alguns casos, o mioma pode levar à infertilidade, pois bloqueia as trompas de Falópio e atrapalha a concepção.

É possível prevenir o aparecimento desses achados?

Sim, é possível. Para minimizar as chances de ter esses e outros problemas de saúde, a primeira medida é adotar um estilo de vida saudável e manter um peso adequado. Ter uma dieta equilibrada e fazer exercícios físicos regularmente ajuda muito — se possível, conte com a assessoria de profissionais (como nutricionista e educador físico).

Também é imprescindível comparecer às consultas médicas periódicas e realizar os exames de rotina na época certa. Com esses cuidados, pode-se identificar e tratar, precoce e adequadamente, os fatores prejudiciais à saúde reprodutiva.

Como tratar nódulos, cistos e miomas?

No caso dos nódulos na tireoide, os tratamentos variam conforme suas características. Se necessário, o médico faz a remoção cirúrgica e/ou terapia com iodo pós operatória.

Para a SOP também há diversos tratamentos, os quais devem ser mantidos até a menopausa. Se o intuito da paciente for engravidar em breve, recomenda-se o uso de anticoncepcionais hormonais (para regular a menstruação e proteger o ovário da formação de cistos). Depois, administram-se os medicamentos indutores de ovulação, geralmente, junto à técnica do coito programado ou fertilização in vitro (FIV).

No caso do cisto no ovário, o tratamento efetivo é um só. Realiza-se sua remoção cirúrgica, na maioria das vezes, por meio da laparoscopia. Apesar da terapia hormonal reduzir os sangramentos e diminuir a dor, ela impede a concepção.

Já quando se tratam de miomas uterinos, as opções de tratamento são o uso de pílula anticoncepcional, embolização da artéria uterina, remoção cirúrgica do tumor (miomectomia) e mais modernamente tratamentos com radiofrequencia podem ser utilizados dependendo do caso. A 1a escolha sempre será a remoção cirurgica que poderá ser por videolaparoscopia.

Para concluir, caso tenha encontrado algum caroço suspeito, não se apavore e consulte seu médico. Afinal, não existe ninguém melhor para orientá-la. Se o nódulo, cisto ou mioma tiver mesmo impacto sobre a fertilidade, não significa que você não poderá ter filhos. Procure a ajuda de um especialista e descubra como tratar do problema da melhor forma possível!

Achou o conteúdo interessante? Então, aproveite para seguir a Fecondare no Facebook e Instagram.

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: E-saúde

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

    Assine nossa newsletter!

      (48) 3024-2523

      Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

      Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

      Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

      Termos e Serviços
      2021 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
      Desenvolvido por esaude