A ação do tempo também compromete a capacidade reprodutiva dos homens

Publicado em: 3 de Março de 2016

A ação do tempo também compromete a capacidade reprodutiva dos homens

O número de homens e mulheres que desejam ter filhos em uma idade mais avançada vem aumentando nos últimos anos e com isso, cada vez mais percebe-se o interesse pelo efeito do envelhecimento na capacidade de ter filhos.

Muito se fala que a formação das famílias acontece tardiamente devido à maior participação da mulher no mercado de trabalho e seu desejo de alcançar o sucesso na carreira e a estabilidade financeira antes da maternidade. Acreditar que essa é a única justificativa é um equívoco, já que o tempo também influencia na capacidade reprodutiva dos homens. Alguns estudos têm demonstrado que quanto mais velho for o pai, menor é a chance de gravidez. Ou seja, a perda da fertilidade é um fato inexorável para homens e mulheres.

O que ocorre com as mulheres

A menina inicia as menstruações com cerca de 300 mil óvulos disponíveis nos ovários e a cada ciclo menstrual, para cada óvulo que atinge a ovulação, mil são perdidos, fazendo com que perto dos 50 anos dificilmente existam óvulos capazes de serem fecundados.

Além da ação natural do tempo, entre as principais causas da infertilidade estão as doenças que atingem o sistema reprodutor, principalmente a endometriose,presente em 10 a 15% das mulheres em idade reprodutiva no mundo. Originada pela presença do tecido uterino, o endométrio, fora do útero,  a patologia é um dos fatores mais importantes no impedimento da gravidez.

Algumas mulheres com endometriose conseguem engravidar, mas, em geral, a doença compromete a qualidade do embrião e o ambiente do útero.

O que acontece com os homens

Os homens também perdem a sua fertilidade conforme os anos avançam. Para eles, também é mais fácil engravidar a parceira quando são mais jovens.

A relação da idade do homem com a fertilidade envolve muitos fatores, entre eles, os hormônios sexuais, disfunção sexual, função testicular, alterações genéticas do sêmen e a fragmentação do DNA do espermatozoide. Destas, as que são mais facilmente avaliadas são as alterações da qualidade do sêmen e a fragmentação do DNA do espermatozoide.

O exame recomendado para avaliar a fertilidade masculina é o espermograma, que pode ser feito em qualquer fase da vida para diagnosticar qualquer possível alteração. A descoberta precoce de alguma anormalidade é capaz de impedir que o quadro se agrave com o passar dos anos.

Hábitos de vida saudável ajudam a manter a fertilidade

A fertilidade de homens e mulheres depende tanto da natureza quanto da qualidade de vida. Para preservá-la, a recomendação é a mesma relacionada à prevenção de qualquer doença: cultivar hábitos de vida saudável. Uma dieta com alto consumo de ômega 3, encontrado em peixes de água fria como salmão e sardinha, além de nozes e ervilhas, por exemplo, contribui para isso.

Não fumar, nem consumir álcool e drogas é outra maneira de manter a saúde dos sistemas reprodutor masculino e feminino. O fumo, nos homens, altera a concentração, o formato e a mobilidade dos espermatozoides. Nas mulheres, afetam a qualidade dos óvulos.

As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) também são perigosas. Chegam a responder por  25% das causas de infertilidade. Por isso, a prevenção é essencial, bem como o diagnóstico precoce e o tratamento adequado.

Por último, a atividade física precisa ser moderada. A alta intensidade da prática esportiva interfere na ovulação e reduz a produção de espermatozoides. Porém, estes problemas são reversíveis.

Há outras questões relacionadas à fertilidade de homens e mulheres sobre as quais se informar. Nos E-books “Infertilidade Masculina: causas e busca por soluções” e “infertilidade Feminina” a equipe da Fecondare esclarece mais dúvidas sobre o assunto. Os dois estão disponíveis para download gratuito no site.

Conteúdo atualizado em: 12 de julho de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: