Publicado em 23/09/2016

A dificuldade para engravidar pode ser culpa do anticoncepcional?

dificuldade-para-engravidar-pode-ser-culpa-do-anticoncepcional

Mulheres que tomam pílula anticoncepcional por muitos anos e decidem que é hora de engravidar geralmente associam o longo período de uso do contraceptivo à dificuldade para engravidar. Esse é um mito que existe há muito tempo em relação ao método.

Tomar pílula anticoncepcional por muito tempo não causa infertilidade, nem tem relação com a dificuldade que algumas mulheres enfrentam para engravidar. Pelo contrário, o contraceptivo pode até mesmo preservá-la. 

O uso da pílula reduz os riscos de cisto no ovário, endometriose e de mioma e pólipo uterino – problemas que podem realmente dificultar a concepção. É o que demonstra um estudo publicado na revista científica Fertility and Sterility. Os cientistas da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, chegaram a essa conclusão depois de avaliar várias pesquisas sobre o tema.

Na verdade, a dificuldade para engravidar deve-se a outros fatores que não estão relacionados ao anticoncepcional, mas que só são descobertos depois que a mulher deixa de utilizá-lo para tentar se tornar mãe e decide investigar o que pode estar dificultando o processo.

O fato é que, enquanto está usando a pílula, a mulher não percebe que algo pode estar comprometendo sua fertilidade. Acreditando que está tudo bem com sua saúde reprodutiva, ela começa as tentativas para engravidar logo depois de parar com o anticoncepcional. Sem sucesso, credita a dificuldade para a gestação ao longo período de uso do medicamento.

O organismo, porém, leva de um a três meses, em média, para retomar as funções interrompidas pela ingestão do hormônio para impedir a ovulação e reorganizar o ciclo menstrual da mulher. Contudo, isso não quer dizer que a concepção ocorrerá logo após o período de 30 a 90 dias a partir da interrupção da pílula. Algumas mulheres levam até um ano para engravidar depois que voltam a ovular.

Como o anticoncepcional age no organismo?

Todo mês, o corpo da mulher passa por um processo de ovulação, deixando o organismo pronto para receber o espermatozoide e iniciar a gravidez. O uso do anticoncepcional interrompe a ovulação e, por isso, a mulher não entra no período fértil. 

Isso porque esses medicamentos contêm hormônios sintéticos que simulam a progesterona e o estrogênio, hormônios que fazem parte do ciclo menstrual e preparam o útero para a gravidez. No seu uso, a hipófise não produz os hormônios que estimulam a ovulação .

Além disso, os anticoncepcionais impedem a produção do muco ovulatório do colo do útero, o que diminui a possibilidade de entrada de espermatozoides. 

O que pode causar infertilidade na mulher?

Agora, que você sabe que a pílula anticoncepcional não causa infertilidade, é hora de entender mais a fundo o que pode estar atrapalhando o processo de gravidez. Saiba quais são os problemas mais comuns de infertilidade feminina!

Endometriose

Uma das principais causas da infertilidade feminina, a endometriose é caracterizada pelo crescimento do endométrio fora do revestimento uterino. Em alguns casos, a doença não apresenta sintomas específicos, o que pode dificultar o seu diagnóstico. No entanto, a maioria das mulheres apresenta sinais do problema, que incluem dor pélvica  menstruação irregular, com cólica ou com forte sangramento e desconforto durante as relações sexuais. 

Para tratar a endometriose, o mais recomendado é realizar uma cirurgia para retirar os tecidos anormais ou aderências e desobstruir as tubas uterinas; fazer uso de medicamentos específicos e, em último caso, para mulheres que estão tentando engravidar, optar pela fertilização in vitro.

Síndrome dos Ovários Policísticos

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) ocorre quando os ovários apresentam inúmeros pequenos cistos que causam um desequilíbrio hormonal e afeta a ovulação da mulher. Para a mulher saber se possui o problema, é preciso ficar atenta aos sinais. Os mais comuns são a menstruação irregular, o excesso de pelos, a acne e o ganho de peso. No entanto, somente exames de imagem e hormonais são capazes de oferecer um diagnóstico preciso.

Problemas na ovulação

Quando os óvulos não conseguem amadurecer, são danificados ou apresentam anomalias cromossômicas, dificilmente a mulher conseguirá engravidar. Esses problemas costumam ser mais comuns em mulheres acima de 35 anos, já que a qualidade dos óvulos diminui conforme o avanço da idade.

Conseguir manter-se no peso ideal ou tomar medicamentos para melhorar a ovulação podem resolver o problema. Mas quando essas medidas não forem suficientes e a mulher estiver tentando engravidar, o melhor a se fazer é optar pela inseminação artificial ou fertilização in vitro.

O que pode causar infertilidade no homem?

Muita gente acha, erroneamente, que a mulher é sempre a culpada pela infertilidade. A verdade é que os problemas de infertilidade também atingem os homens e podem ser os responsáveis pelo fracasso nas tentativas de gravidez. Conheça os problemas mais comuns que afetam o público masculino!

Varicocele

A varicocele é um tipo de varizes nos testículos que deixam as veias aumentadas no local. O problema provoca a elevação da temperatura nos testículos, comprometendo a produção de espermatozoides. Geralmente, não há sintomas aparentes, sendo necessário a realização de exames clínicos e ultrassom para identificar a varicocele.

O procedimento cirúrgico é o método mais recomendado para corrigir o problema. A cirurgia é bastante simples e o paciente recebe alta no mesmo dia. Os resultados podem ser notados cerca de 3 a 6 meses após a operação, por meio de um espermograma.

Problemas nos espermatozoides

A qualidade dos espermatozoides também pode prejudicar casais que estão tentando engravidar. A pouca quantidade ou até mesmo inexistência de espermatozoides, baixa mobilidade ou formato anormal não permitem que haja fecundação do óvulo.

Para tratar o problema, o paciente pode tomar medicamentos para aumentar a produção de espermatozoides e, se esse método não resolver, o mais indicado é realizar inseminação artificial, com espermatozoides de um doador, ou fertilização in vitro com a fecundação dos espermatozoides diretamente no óvulo.

Problemas de ejaculação

Defeitos congênitos, infecção ou uma vasectomia realizada anteriormente podem causar bloqueio dos dutos ejaculatórios masculinos, causando a ausência de ejaculação ou ejaculação retrógrada.

A pouca ejaculação ou urina opaca podem ser sinais de problemas na ejaculação, mas a maioria dos homens não apresenta nenhum sintoma. O tratamento consiste em uma cirurgia para desobstrução ou reversão da vasectomia ou um procedimento para retirar os espermatozoides e realizar fertilização in vitro.

Quando investigar a causa da dificuldade para engravidar?

Um ano é o tempo indicado que uma mulher em idade reprodutiva, abaixo dos 35 anos, deve tentar engravidar antes de procurar ajuda médica especializada. Caso a concepção não ocorra no prazo de 12 meses, os especialistas em reprodução humana recomendam que o casal busque investigar as causas.

Quando a mulher tem mais de 35 anos, a orientação é para que o casal busque a assistência médica para averiguar o que pode estar impedindo a concepção depois de seis meses tentando engravidar naturalmente.

Como vimos, há muitas causas para a infertilidade feminina e a masculina. Um especialista em reprodução assistida é o profissional mais indicado para realizar o diagnóstico e, quando necessário, indicar o tratamento do problema para que o casal possa engravidar.

Você ainda tem dúvidas sobre a dificuldade para engravidar? Baixe o e-book Infertilidade Feminina, produzido pelos especialistas da Clínica Fecondare.

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Equipe Fecondare

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

    Assine nossa newsletter!

      (48) 3024-2523

      Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

      Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

      Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

      Termos e Serviços
      2021 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
      Desenvolvido por esaude