Dúvidas sobre fertilidade? Esclareça lendo esses mitos e verdades sobre saúde reprodutiva

Publicado em: 9 de outubro de 2015

Dúvidas sobre fertilidade? Esclareça lendo esses mitos e verdades sobre saúde reprodutiva

Ter filhos no começo no casamento não é mais a prioridade de muitos casais. Em 1991, a média de filhos por família era de 2,9. Essa taxa vem caindo anualmente e chegou a 1,7 em 2014, segundo dados do IBGE. Homens e mulheres planejam ter uma carreira mais sólida e melhores condições financeiras antes de assumir o compromisso de serem pais.

Se por um lado essa consciência é um fator positivo, de outro lado existe a realidade biológica, fator que não pode ser mudado e ainda é determinante para a conquistar de uma gestação de maneira natural. Quando mais idade mulher e homem tiverem, maiores são os casos de problemas com a fertilidade.

Uma mulher com menos de 35 anos tem 80% mais chances de engravidar do que uma de 40 anos. A reprodução assistida é uma realidade na vida de muitos casais, porém, mesmo mais debatida, a infertilidade ainda é um assunto que gera dúvidas. Confira alguns mitos e verdades sobre a saúde reprodutiva:

Mitos sobre reprodução assistida e infertilidade

  • Vou ter gêmeos se fizer algum tratamento para engravidar

Mito – Apenas 20% das mulheres que engravidam após reprodução assistida (inseminação artificial ou fertilização in vitro) terão mais de um bebê na mesma gestação.

  • Ter relação no dia da ovulação é o suficiente para engravidar

Mito – Com o passar dos anos as mulheres sofrem com a diminuição da ovulação, se entre os 18 e 20 anos elas ovulam entre 10 e 11 vezes ao ano, depois dos 30 anos essa quantidade é menor, nem todo mês a mulher estará pronta para engravidar. Por isso, mesmo para casais saudáveis e ativos sexualmente, pode levar até um ano de tentativas para que a gravidez aconteça naturalmente. “A espécie humana não é uma espécie fértil, a cada ciclo a chance de engravidar é de, no máximo, 20% por mês, essa é a taxa de fertilidade de um casal jovem e saudável“, explica o ginecologista Ricardo Nascimento.

  • Na maioria dos casos é a mulher que tem problema para engravidar

Mito – Associar a dificuldade de ter filhos com problemas da mulher é um erro que ainda acontece muito, mas infertilidade atinge o casal em proporção quase igual. Em 40%, a causa é feminina, mesmo índice da causa masculina. Existem também os casos de infertilidade conjugal, quando os dois têm problemas ao mesmo tempo. Quando um casal já está tentando uma gravidez há mais de um ano e não tem sucesso deve procurar um especialista para investigar as possíveis causas, quando ambos serão submetidos à exames e análises.

Verdades que influenciam na fertilidade

  • Fumar pode causar infertilidade?

Verdade – O cigarro é um vilão da fertilidade. Homens que fumam são fortes candidatos a terem problemas reprodutivos, pois capacidade de deslocamento dos espermatozoides pode ser comprometida. Nas mulheres o cigarro pode causar irregularidades menstruais, alterações hormonais, piorar a qualidade dos óvulos e ainda pode ocasionar a dificuldade de implantação do óvulo, isso quando ele já foi fecundado, ou seja, a fecundação pode acontecer, mas o uso do cigarro pode impedir que a gravidez se desenvolva normalmente.

  • Quanto mais idade, maior a dificuldade para engravidar

Verdade – Do ponto de vista fisiológico, a janela de tempo com maiores chances de engravidar é dos 20 aos 29 anos. Durante esse período, o aparelho reprodutor está totalmente desenvolvido e preparado para receber uma gravidez. Após esse ciclo, a fertilidade diminui gradativamente, mas até os 35 anos ainda é possível engravidar sem maiores problemas, uma vez que o declínio do número de óvulos se acentua depois dessa idade.  A cada ovulação, cerca de mil óvulos são perdidos e o corpo não repõe esse estoque. Na faixa dos 50 anos, as chances de ainda existirem óvulos capazes de serem fecundados são quase nulas.  

  • Não quero ter filhos agora, congelar óvulos é uma boa opção?

Verdade – O congelamento de óvulos é indicado nos casos em que a mulher deseja preservar sua fertilidade. Por sofrerem com a diminuição de fertilidade com o passar dos anos, atualmente muitas mulheres saudáveis estão procurando esta técnica, seja por motivos profissionais ou afetivos, congelar os óvulos pode garantir que eles estejam saudáveis e prontos para uma fertilização in vitro outro momento da vida. Ao serem criopreservados os oócitos mantêm as características conservadas e podem ser fecundados quando a mulher desejar.

Ainda tem dúvidas sobre a fertilidade? Uma avaliação feita por especialistas em reprodução assistida pode determinar as causas da infertilidade e sugerir as melhores alternativas para resolver a questão, consultar um médico é indispensável.

Conteúdo atualizado em: 12 de julho de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: