Aspectos emocionais envolvidos na infertilidade masculina

Publicado em: 29 de Março de 2017

Homens também enfrentam problemas de fertilidade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 40% das dificuldades que um casal enfrenta para engravidar estão relacionadas à infertilidade masculina, mas nem todos os homens se dispõem a falar sobre o assunto. Pelo contrário, preferem manter-se em silêncio. O motivo, às vezes, é bem específico: o sentimento de que não estão cumprindo seu papel de homem.

A vergonha de permitir que alguém saiba sobre essa condição impede muitos deles de procurar ajuda médica especializada. Há casos em que a parceira precisa convencer o companheiro a fazer exames de fertilidade porque ele prefere esquivar-se ao invés de considerar a possibilidade de ter algum problema que possa estar afetando a reprodução.

É um comportamento comum, já que os homens, há muito tempo, são educados para serem reprodutores e esconderem suas emoções. Embora o mundo esteja caminhando para mudar essa perspectiva, ela ainda está presente e é culturalmente aceita na sociedade.

Nesse cenário, e mediante a dificuldade para gerar um filho, o homem se vê frente a um dilema. Sente-se impotente, mesmo que não sofra nenhuma disfunção sexual, e prefere negar a existência de um problema a tentar resolvê-lo. No entanto, algumas situações tornam-se mais complicadas à medida que demoram para ser resolvidas. Por isso, o melhor é solucioná-las no início, ainda que seja preciso contar com a ajuda de um profissional.

Sentimentos que a infertilidade masculina desperta

Realizar um acompanhamento psicológico ajuda a dissipar algumas questões que, há anos, permeiam o comportamento dos homens, estão presentes em seu inconsciente e são capazes de gerar muita frustração quando não são atendidas como o consenso social diz que devem ser.

O pensamento de que o homem infértil não cumpre seu papel e está, de alguma forma, mutilado precisa ser combatido para não gerar cada vez mais angústia. Pode não ser fácil superá-lo, já que isso depende de o próprio homem mudar sua percepção sobre a infertilidade masculina e compreender que trata-se de uma disfunção orgânica, sobre a qual, em muitos casos, não existe controle.

A compreensão do que está acontecendo é uma forma de assimilar a situação e abrir-se às possibilidades que existem para a restauração da fertilidade. Algumas exigem pouco esforço e cuidado, mas outras podem exigir um comprometimento maior do homem.

Em muitos casos, as técnicas de reprodução humana assistida são a alternativa encontrada para que homens inférteis possam ter filhos, principalmente quando nenhuma outra opção foi resolutiva.

Conteúdo atualizado em: 29 de junho de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: