Publicado em 08/07/2022

Tudo que você precisa saber sobre hepatite viral e infertilidade

tudo-que-voce-precisa-saber-sobre-hepatite-viral-e-infertilidade

dificuldade para engravidar pode estar ligada a inúmeras causas diferentes. Mas você sabe qual relação entre a hepatite viral e a infertilidade? Continue lendo o artigo e descubra a conexão entre os dois problemas, assim como a hepatite afeta a saúde das pessoas.

Considerada um dos principais problemas de saúde pública, de acordo com o Ministério da Saúde, a hepatite viral é uma infecção que acomete o fígado e pode causar algumas alterações, que vão desde leves até graves.

Na maioria dos casos, a hepatite viral tende a ser um problema silencioso, ou seja, sem sintomas aparentes. Contudo, é comum que quem tem a infecção, apresente algumas manifestações como:

  • febre;
  • mal-estar;
  • enjoo;
  • vômitos;
  • dor abdominal;
  • pele e olhos amarelados;
  • urina escura e
  • fezes claras.

Apesar disso, é mais frequente a não apresentação de sintomas, o que faz com que as pessoas não tomem conhecimento da infecção.

Por esse motivo, a hepatite viral possui um grande impacto, sendo capaz de causar cerca de 1,4 milhões de vidas perdidas todos os anos, independente de ser uma infecção aguda, câncer hepático ou até mesmo uma cirrose associada ao problema.

Tipos de hepatites virais

As hepatites virais possuem tipos mais frequentes que vão depender da localização. No Brasil, as hepatites mais comuns são a A, B e C, contudo, ainda existe a hepatite D, que é mais recorrente no norte do país.

Já a hepatite E, costuma ser encontrada com mais frequência na África e na Ásia. Além disso, é importante destacar que as infecções provocadas pelos vírus das hepatites B ou C quase sempre se tornam crônicas.

Vamos entender um pouquinho sobre as hepatites mais comuns no Brasil.

Hepatite A

Também conhecida como hepatite infecciosa, a hepatite A é uma doença transmissível causada pelo vírus HAV, um vírus RNA de fita simples positiva.

Acontece que esse vírus HAV causa a inflamação no fígado, uma vez que ele interfere na função hepática que desencadeia uma reação imune.

Ministério da Saúde informa que na maioria dos casos da hepatite A, a sua apresentação é de forma benigna, mas tanto o seu curso sintomático, como a letalidade, vai aumentando com a idade.

Sua forma de transmissão é fecal-oral em razão do saneamento básico de água instável, bem como higiene pessoal e alimentos contaminados.

Portanto, é importante estar atento aos sintomas da doença (já citados acima),além de tomar a vacina como forma de prevenção, uma vez que ela reduz as chances de infecção.

Hepatite B

Caracterizada como uma doença infecciosa e transmissível causada pelo vírus B, da família Hepadnaviridae (HBV),a hepatite B também é conhecida como soro-homóloga, que também agride o fígado.

Ela também é considerada uma IST(infecção sexualmente transmissível), uma vez que o HBV está presente no sangue e secreções, ou seja, no esperma.

Por ser uma hepatite viral, ela pode evoluir para as formas crônicas, o que ocasiona algumas complicações, como: cirrose, câncer de fígado, transplante e até mesmo óbito.

Sua transmissão pode se dar por meio de:

  • sangue contaminado (transfusão de sangue);
  • relações sexuais sem proteção com uma pessoa infectada;
  • da mãe para o filho, durante a gestação e parto;
  • na elaboração de uma tatuagem ou piercing;
  • compartilhar materiais de higiene pessoal, entre outros.

Tenha em mente que o HBV pode sobreviver fora do corpo por muito tempo e, em indivíduos mais vulneráveis, tem um potencial infeccioso maior do que os vírus da hepatite C (HCV) e da imunodeficiência humana (HIV).

Hepatite C

Definido por um processo infeccioso e inflamatório, a hepatite C é causada pelo vírus HCV, caracterizando-se por um processo inflamatório no fígado.

Assim como o vírus da hepatite B, ele não possui sintomas, mas pode evoluir para as formas aguda ou crônica, sendo que cerca de 60% a 85% dos casos de hepatite C tornam-se crônicos.

Sua forma de transmissão pode acontecer por meio de:

  • contato com sangue contaminado;
  • reutilizar ou não esterilizar equipamentos médicos ou odontológicos;
  • reutilizar material para fazer tatuagem;
  • procedimentos cujos cuidados de biossegurança são falhos, entre outros.

É importante observar que, além dos usuários de drogas e das pessoas infectadas pelo HIV, as pessoas em hemodiálise estão entre aqueles que são mais suscetíveis à infecção pelo HCV.

Hepatite D

Também conhecida como Delta, a hepatite D é responsável por provocar uma infecção inflamatória das células do fígado.

Existem duas maneiras de infecção pelo HDV, uma é a coinfecção simultânea com o HBV e a outra é superinfecção pelo HDV em  indivíduos com a infecção crônica pelo HBV.

Além disso, vale ressaltar que  a hepatite D crônica a forma mais grave de hepatite viral. Acontece que ela progride para cirrose mais rapidamente e têm um risco maior não apenas de descompensação, mas também de câncer de fígado e morte.

Suas formas de transmissão são iguais às da hepatite B, e a imunização é sua principal forma de prevenir a doença.

Hepatite viral e infertilidade

infertilidade é definida como a dificuldade de um casal em engravidar, geralmente tendo relações sexuais sem nenhum método contraceptivo por pelo menos um ano.

Ocorre que muitas podem ser a causa da infertilidade, tanto masculina como feminina e, por esse motivo, é comum se perguntar sobre a relação da hepatite viral e infertilidade.

A resposta para essa pergunta é não. A hepatite viral não causa infertilidade, contudo, o que pode prejudicar a fertilidade de uma pessoa são os efeitos colaterais provenientes dos tratamentos para hepatite.

O tratamento das hepatites virais são decididos por meio dos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT). Além disso, é importante ter em mente que cada tipo de hepatite irá contar com um método de tratamento diferente.

Lembre-se que a hepatite viral é, na maioria dos casos, assintomática, portanto é essencial diagnosticar e tratar corretamente, evitando que o quadro infeccioso evolua e se agrave. Então, é muito importante consultar um médico e fazer os exames de rotina regularmente.

O paciente também deve conversar com o profissional sobre o seu desejo de engravidar, dessa forma é possível buscar um recurso terapêutico para agir junto ao tratamento da hepatite.

Ainda tem alguma dúvida sobre hepatite viral e infertilidade? Então entre em contato com a Fecondare, faça o seu pré-agendamento no site!

Aproveita para seguir a gente no Instagram e Facebook. Não fique de fora das nossas atualizações e veja em  todos os nossos conteúdos na sua rede social favorita.

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Equipe Fecondare

Filtre por temas:

Filtre pelo formato de conteúdo

Assine nossa newsletter!

    Assine nossa newsletter!

      (48) 3024-2523

      Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

      Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

      Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

      Termos e Serviços
      2022 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
      Desenvolvido por esaude