Infertilidade pode ser consequência das DSTs em homens e mulheres

Publicado em: 25 de Maio de 2016

Infertilidade pode ser consequência das DSTs em homens e mulheres

A infertilidade pode ser causada por diferentes situações, entre elas as complicações provenientes da contaminação por doenças sexualmente transmissíveis (DST). De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a clamídia e a gonorreia são responsáveis por cerca de 25% dos casos de infertilidade entre mulheres e homens. As duas doenças provocam infecções que, quando não tratadas, levam ao desenvolvimento da doença inflamatória pélvica (DIP), condição que pode provocar alterações tubárias nas mulheres e infecções na uretra nos homens e, consecutivamente, a dificuldade de engravidar naturalmente.

Pode ser assintomática

É comum que essas doenças não apresentem sintomas e o desenvolvimento da infecção comprometa o aparelho reprodutor sem que a pessoa perceba. Por ser assintomática, além de prejudicar a saúde de quem está contaminado, o portador do vírus pode se tornar um transmissor, e o maior risco é a prática de relação sexual sem proteção.

Os órgãos de saúde calculam que, anualmente em todo mundo, sejam diagnosticados 20 milhões de casos de DST, porém muitos outros casos ainda podem não ter sido identificados, o que coloca qualquer pessoa que não se protege em situação de risco.

Chances de tratamento

Quando o diagnóstico da doença é feito no início podem ser realizados tratamentos com antibióticos, porém, se for descoberta em um momento avançado, é possível que o tratamento não tenha o efeito esperado, ou demore para ser combatida, e quanto mais tempo demorar, maior a chance de complicações e infertilidade.

Infertilidade

Nas mulheres, a inflamação pélvica pode causar obstrução ou dilatação das trompas, o que impede a passagem do óvulo para ser fecundado. Nos homens, as complicações estão relacionadas à infecção do canal da urina (uretrite), próstata e epidídimo, local onde ocorre o amadurecimento dos espermatozoides. Isso resulta em uma piora significativa na qualidade do sêmen.

O HPV (vírus do papiloma humano) também pode levar à infertilidade. Esse tipo de vírus é o responsável por 90% dos casos de câncer de colo de útero, por esse motivo se tornou uma preocupação para os serviços de saúde pública e já existem vacinas aplicadas em meninas entre nove e 13 anos para prevenir a doença. Mas não é só o tumor que essa doença pode causar, existe também o surgimento de verrugas na região genital que também podem se complicar e levar à infertilidade na mulher.

Prevenção

A primeira atitude para prevenção das DSTs é a utilização de proteção em todas as formas de contato sexual, porém, quem já fez sexo sem proteção precisa realizar exames: as mulheres devem procurar um médico Ginecologista e os homens um Urologista, para o acompanhamento frequente. Consultas regulares, com a realização de exames com a frequência determinada pelo profissional da saúde, são também uma forma de prevenir a doença e tratar, caso seja diagnosticada a infecção. O tratamento precoce oferece chances de a doença não evoluir e não comprometer a fertilidade.

Não deixe que a vergonha ou o medo impeçam de descobrir alguma complicação em sua saúde reprodutiva. Se você está com problemas para engravidar, consulte um médico especializado e saiba como proceder para realizar o tratamento mais adequado ao seu caso.

Conteúdo atualizado em: 12 de julho de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: