21/05/2019

Corrida contra o tempo: o que é o ciclo reprodutivo?

Desde muito novas, as mulheres já aprendem a lidar com as etapas do ciclo reprodutivo. Por volta dos 12 anos, ocorre a primeira menstruação, chamada de menarca, que prepara o corpo para uma possível gravidez. 

Quando iniciam a vida sexual, diversas mulheres utilizam a “tabelinha da menstruação”, uma prática que ajuda a engravidar ou evitar a gravidez, dependendo da vontade de cada uma. 

Após a primeira menstruação, a produção de hormônios sexuais femininos permanece constante por cerca de 40 anos. Isso contribui para que a paciente apresente boas condições de engravidar. 

Mas o ciclo reprodutivo feminino vai muito além da menstruação, e depende de outros fatores que irão determinar o sucesso, ou não, da gravidez

Continue a leitura e entenda melhor!

O que é o ciclo reprodutivo feminino?

O ciclo reprodutivo está relacionado aos aspectos que permitem que a mulher engravide. Estes fatores dependem do correto funcionamento do útero, do ovário e da respectiva regulação hormonal.

É importante ressaltar que, mesmo com excelentes condições de reprodução, a mulher não terá um ciclo reprodutivo infinito. O pico geralmente acontece por volta dos 25 anos e vai diminuindo, com o avanço da idade. 

Fases do ciclo reprodutivo 

Podemos afirmar que o ciclo reprodutivo feminino está relacionado a três fatores essenciais: 

  • ciclo menstrual; 
  • ciclo ovárico; 
  • e regulação hormonal. 

Ciclo menstrual

O ciclo menstrual é um período em que ocorre o desenvolvimento e liberação de um óvulo maduro para ser fertilizado por um espermatozoide (gameta masculino). Nesta fase, o endométrio, a camada mais interna do útero, é preparado pelos hormônios produzidos nos ovários para que possa receber e nutrir o embrião, após a fecundação. 

Caso não haja fecundação, essa camada torna-se desnecessária e vai ser parcialmente expulsa do organismo, por meio da menstruação, para dar início a um novo ciclo menstrual.

Esta fase também envolve a pré-ovulação e a pós-ovulação da mulher. A fase pré-ovulatória é caracterizada pelo crescimento da parede interna do útero e desenvolvimento de vasos sanguíneos. Tudo isso para que, caso ocorra a fecundação, o bebê tenha espaço para crescer e possa receber os alimentos e o oxigênio fornecido pela mãe. 

Já na fase pós-ovulatória, ocorre uma maior produção de glicogênio, que atua como uma reserva de energia para nutrir o embrião, caso haja a fecundação. 

Ciclo ovárico

O ciclo ovárico diz respeito ao amadurecimento de um novo óvulo, para que ocorra a fecundação, caso haja espermatozoides. O processo de amadurecimento e liberação dos óvulos acontece desde o primeiro dia da menstruação e em um ovário de cada vez.

Regulação hormonal

Para que a mulher possa engravidar, é necessário que ela produza corretamente os hormônios estrogênio e progesterona, essenciais à gravidez. A produção de estrogênio é mais abundante na fase pré-ovulatória, enquanto a maior produção de progesterona ocorre na fase pós-ovulatória.

Como a idade afeta a fertilidade da mulher?

Com o avanço da idade, a capacidade de ovulação e a qualidade dos óvulos diminuem, o que aumenta as chances de aborto espontâneo e reduz as taxas de gravidez. Aos 25 anos, média da melhor idade reprodutiva da mulher, há 25% de chance de engravidar a cada mês. A partir dos 35 anos essa porcentagem começa a diminuir. Aos 40 anos, a taxa de gravidez já é menor que 5%, ao mês.

Tratamentos

Para as mulheres que já passaram da idade reprodutiva, é possível optar por tratamentos de reprodução humana assistida

Confira os principais métodos!

Congelamento de óvulos

Para mulheres que desejam ter filhos tardiamente, o congelamento de óvulos consiste em uma medida preventiva. Essa técnica permite preservar a qualidade das célulasreprodutivas. Além disso, oferecem para a mulher a segurança de ter ovócitos saudáveis para o futuro. 

Desta maneira, e independentemente do passar do tempo, uma mulher pode experimentar a maternidade com ovócitos próprios, que foram gerados na sua idade mais fértil.

Fertilização In Vitro

A Fertilização In Vitro é uma técnica em que a mulher recebe medicamentos via subcutânea que estimulam a produção de um número maior de folículos. No geral, inúmeros folículos podem ser estimulados para que a produção de óvulos seja maior. Isso facilita a coleta e a própria fertilização. Em muitos casos, é o procedimento mais adequado para mulheres que já entraram na menopausa.

Inseminação artificial

A inseminação artificial consiste, basicamente, na introdução dos espermatozoides no fundo do útero da mulher para a fecundação do óvulo. Mas quando o ciclo reprodutivo da mulher está comprometido, a inseminação deve ser feita com óvulos de doadoras ou que tenham sido congelados por, pelo menos, 20 anos antes.

Indução da ovulação com coito programado

A baixa produção de óvulos é uma característica comum às mulheres que não estão mais em idade reprodutiva. Nesses casos, é possível optar pela indução da ovulação, uma técnica que visa a formação de um óvulo para ser fecundado e gerar um embrião. 

Essa indução pode ser feita com diferentes medicamentos. Eles variam em custo e duração de tratamento. Além disso, podem causar diferentes efeitos e têm indicações de uso distintas. É muito recomendada para mulheres que possuem mais de 35 anos de idade.

Gostou do nosso conteúdo? Aproveite para nos seguir no Facebook e Instagram para receber mais dicas sobre fertilidade feminina.

Inscreva-se em nossa newsletter.

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Publicado por: Dr. Marcelo Costa Ferreira - Ginecologista - CRM/SC 7223 e RQE 2935
CRM 7223 e RQE 2935  Ginecologista Formado em Medicina pela FURB, Blumenau/SC, 1995. Residência  Médica em Ginecologia e Obstetrícia  na  Maternidade Darcy Vargas, Joinville, 1996 a 1998. Especialização em Reprodução Humana no Centro de Referência da  Saúde da Mulher em São Paulo, 1998 a 1999. Especialização em Reprodução Assistida pelo Instituto de Ensino e Pesquisa […]

Assine nossa newsletter!

(48) 3024-2523

Rua Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center - Centro CEP: 88020-203 – Florianópolis – SC

Diretor técnico médico: Dr Jean Louis Maillard - CRM-SC 9987 RQE 5605

Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas , consulte o seu médico.

2019 © Clínica Fecondare - Todos os direito Reservados
Desenvolvido por esaude