Estilo de vida e a reprodução

Publicado em: 6 de dezembro de 2012

Estilo de vida e a reprodução

Existem muitos fatores relacionados ao estilo de vida que podem influenciar a  reprodução de um casal. Muitas pessoas que planejam engravidar procuram um médico ginecologista com o intuito de conhecer melhor sobre sua capacidade de ter filhos e de que modo podem aprimorá-la, querendo saber principalmente que substâncias consumir, que exercícios físicos fazer, que tipo de vida sexual é a ideal, entre outros.

Justifica-se a investigação de infertilidade em mulheres com menos de trinta e cinco anos  que estão tentando engravidar há mais de um ano; para aquelas, acima desta idade, tolera-se seis meses de tentativa, isto é, depois desse período já se pode investigá-la sob suspeita de infertilidade.

Durante um ciclo menstrual, a mulher tem um período de maior fertilidade que corresponde a cinco dias antes da ovulação até o dia em que ocorre, sendo que todo mês isso se repete; assim, a frequência das relações sexuais é bastante importante, sendo recomendado de duas a três vezes por semana.

Em relação ao consumo do tabaco, já se sabe que ele está associado a aborto espontâneo e gravidez ectópica (fora do útero), assim como a um envelhecimento precoce do ovário (responsável pela produção e liberação dos óvulos). Inclusive ele pode acarretar infertilidade em filhos de gestantes que fumaram durante a gravidez, sendo este um mau hábito desde o período das tentativas até todo o período da gestação. Já o café parece não influenciar tanto a fertilidade da mulher se for consumido em uma dose menor do que 200mg por dia.

Existe um índice matemático que é usado para classificar uma pessoa em relação a seu peso, chamado IMC – Índice de Massa Corporal. Esse índice também serve de parâmetro para orientar as mulheres em relação à fertilidade delas. Mulheres com IMC acima ou abaixo do indicado têm mais dificuldade para engravidar, principalmente por deixarem de ovular. A perda ou o ganho de peso necessários são medidas que devem favorecer a fertilidade.

Também o consumo de álcool em excesso pelo homem compromete a sua fertilidade devido a diversos mecanismos, inclusive por causa da diminuição na produção de espermatozoides. A fertilidade da mulher também é negativamente afetada por esse tipo de consumo. Fatores como o estresse e uso de drogas ilícitas também prejudicam a capacidade de engravidar do casal, assim como uma dieta rica em gorduras e proteína animal. Doenças sexualmente transmissíveis e idade também devem ser levados em consideração.

Muitos são os fatores que influenciam a capacidade reprodutiva do casal e todos devem ser considerados em conjunto. Os parâmetros que determinam uma melhora na saúde e na qualidade de vida de modo geral influem positivamente na fertilidade. A visita o mais cedo possível ao médico especialista valoriza este período de tentativas.

Conteúdo atualizado em: 9 de Março de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: