Tratamento de fertilidade: quais os riscos do nascimento de múltiplos?

Publicado em: 9 de julho de 2014

Tratamento de fertilidade: quais os riscos do nascimento de múltiplos?

Muitas mulheres que sonham em ser mães e não conseguem naturalmente acabam optando pelos tratamentos de fertilidade. Há vários tipos de tratamentos existentes e, muitas vezes, ao invés de apenas um bebê, nascem dois ou mais. Será que isso é frequente?

Como os tratamentos de infertilidade fazem com que vários ovócitos se desenvolvam, é muito provável que a gravidez seja de mais de um bebê, o que é chamado de gestação múltipla. A chance de isso acontecer é muito grande, pois em vários tratamentos de fertilidade há a produção de mais de um folículo. Nesse post você vai descobrir quais os riscos da gestação e nascimento de múltiplos para os bebês e para as mães. As informações são da Sociedade Americana para a Medicina Reprodutiva (American Society for Reproductive Medicine – ASRM). Confira:

Entenda os riscos do nascimento de múltiplos

Há riscos para os bebês no nascimento de múltiplos?

Quando há mais de um bebê em uma só gestação, podem ocorrer algumas alterações como o parto prematuro (quando o bebê nasce com menos de nove meses). De acordo com dados levantados, 50% dos gêmeos e 90% dos trigêmeos nascem antes de completarem os nove meses de gestação.

Quando os bebês nascem antes do tempo, eles podem ter alguns problemas de saúde e precisarão de um cuidado mais intenso. Alguns, como ainda têm o pulmão fraquinho, nascem com dificuldade de respirar, outros podem nascer com problemas circulatórios e no geral, vêm com peso baixo e um pouco mais fraco.

Isso tudo acontece por que muitas vezes eles acabam sendo alimentados por uma única placenta e, como são vários, não conseguem absorver todos os nutrientes que precisavam. Alguns não conseguem sobreviver e outros podem apresentar um desenvolvimento menor do que o esperado no cérebro.

O nascimento de múltiplos traz riscos para a mãe?

Quando a gravidez é múltipla, há maiores riscos para a mãe. Dentre eles podemos destacar a pressão arterial elevada, diabetes, anemia, ou excesso de líquido amniótico, aquele que fica protegendo os bebês durante a gestação.

Esse grande volume de líquido pode levar a um parto prematuro, enquanto pouco pode prejudicar o desenvolvimento dos bebês. Muitas vezes, quando esse problema acontece, a mãe precisará passar longo tempo em repouso até chegar a hora do parto. O parto pode precisar ser feito por cesariana.

Posso evitar a gestação múltipla ao realizar o tratamento de fertilidade?

É importante que você se lembre de que tudo será feito por profissionais altamente qualificados e que conhecem as dificuldades de uma gestação múltipla. Certamente eles tentarão evitar que isso aconteça, mas nem sempre é possível.

O médico avaliará todo o seu ciclo reprodutivo com cuidado para tentar proporcionar a gestação mais segura possível. Porém, o uso de medicamentos de fertilidade faz com que as chances de que um ou mais ovócitos sejam fertilizados aumentem.

Ao mesmo tempo, caso o médico note que muitos ovócitos estão se desenvolvendo, poderá cancelar o procedimento e orientar a não realizar a inseminação ou a ter relação sexual. Com isso, o risco de nascimentos múltiplos diminui.

Conteúdo atualizado em: 12 de julho de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: