Pouco sono pode ter relação com a Síndrome dos Ovários Policísticos

Publicado em: 15 de outubro de 2014

Pouco sono pode ter relação com a Síndrome dos Ovários Policísticos

A síndrome dos ovários policísticos é uma doença hormonal muito frequente na população feminina. Suas principais características são a irregularidade menstrual, a obesidade, a presença de acne e pelos grossos, a resistência à insulina (causando aumento de açúcar no sangue), a infertilidade e, o que dá o nome à doença, a presença de muitos cistos nos ovários. As portadoras dessa síndrome ainda podem ter outros problemas como a dificuldade para manter um padrão de sono regular e restaurador.

A melatonina, hormônio produzido naturalmente pelo nosso corpo, é responsável por regular o nosso ciclo sono-vigília. Esse ciclo permite que o corpo perceba o período de um dia e uma noite, de modo a regular a vontade de dormir e acordar. Assim, seus principais reguladores são a luz (que o inibe) e o escuro (que o estimula, causando sono). Outra função desse hormônio é limpar os radicais livres produzidos pelo organismo. Os radicais livres são os restos das reações químicas que acontecem o tempo todo no nosso organismo e que o mantêm funcionando perfeitamente; eles são tóxicos para as células e tecidos, portanto devem ser eliminados.

Pacientes portadoras da síndrome dos ovários policísticos tendem a produzir muitos radicais livres e também mais melatonina do que as mulheres que não têm esse problema. Assim, com o intuito de eliminá-la, apesar de ser responsável pelo sono, o aumento excessivo desse hormônio acaba causando mau funcionamento do ciclo sono-vigília, ocasionando dificuldade para dormir que muitas dessas pacientes apresentam – um efeito aparentemente contraditório.

Outra característica da melatonina é estar presente e agindo dentro do ovário, em quantidades maiores do que no organismo de modo geral. Mas, no caso de portadoras da síndrome dos ovários policísticos, a melatonina do ovário se faz presente em menores quantidades, mesmo que a quantidade geral do organismo esteja aumentada – como é característico da doença. Mas ainda não se sabe ao certo quais as consequências disso.

Assim, uma das características típicas da síndrome dos ovários policísticos é a dificuldade, por parte da paciente, de manter uma boa qualidade do sono e, em pesquisas recentes, essa relação está sendo explicada. Portanto, isso reforça ainda mais que a indicação de tratamento para a doença, feita por um médico especialista, é essencial para promover conforto e qualidade de vida à paciente.

Conteúdo atualizado em: 12 de julho de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: