Publicado em 02/01/2024 - Atualizado 16/01/2024

Antidepressivos diminuem a fertilidade?

o-uso-de-antidepressivo-pela-mulher-pode-afetar-a-fertilidade

Alguma vez você já se perguntou se os antidepressivos diminuem a fertilidade? É muito frequente o uso de medicação antidepressiva na população de modo geral. Nos EUA, essa é a medicação mais prescrita entre os 18 e 44 anos, e muito se estuda sobre o seu verdadeiro valor e efeitos colaterais.

Contudo, as pesquisas científicas sobre o assunto são conflitantes. No final de 2012, foi publicado um artigo pela Universidade de Harvard sobre a relação entre o uso de antidepressivo e a infertilidade. Esse estudo indicava que não havia relação direta entre esses medicamentos e sua influência na saúde de homens que fizeram fertilização in vitro. Por outro lado, existem estudos que analisam os efeitos colaterais dos remédios para a saúde da mulher.

Neste artigo, vamos explicar tudo que você precisa saber sobre o assunto e responder se, de fato, os antidepressivos diminuem a fertilidade.

Depressão e a infertilidade

Antes de explorar a conexão entre remédios para depressão e fertilidade, é crucial compreender o que são esses problemas. A Organização Mundial da Saúde (OMS) define a infertilidade como a incapacidade de conceber após um ano de relações sexuais regulares sem contraceptivos.

Esse problema afeta uma parcela significativa da população, com diversas causas, incluindo condições médicas, idade, fatores genéticos e estilo de vida.

Já a depressão, é uma condição de saúde mental debilitante que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Alguns estudos associam a depressão a uma série de complicações de saúde, incluindo:

  • alterações hormonais;
  • estresse oxidativo e
  • disfunção no eixo hipotálamo-hipofisário.

Essas complicações podem influenciar diretamente o funcionamento do sistema reprodutivo, podendo potencialmente afetar a fertilidade.

Antidepressivos diminuem a fertilidade?