Parâmetros analisados no diagnóstico de infertilidade feminina

Publicado em: 26 de Abril de 2017

Parâmetros analisados no diagnóstico de infertilidade feminina

Muitas mulheres não conseguem engravidar. A dificuldade, geralmente, traz consigo um alerta: é hora de considerar um diagnóstico de infertilidade para descobrir se há algo impedindo a gravidez de acontecer.

A primeira consulta pode ser feita com o ginecologista de confiança da mulher. Ele poderá fazer uma avaliação inicial para investigar se há a possibilidade de a mulher estar infértil.

Caso perceba alguma alteração que exija uma abordagem mais complexa ou, pelo contrário, caso não encontre nada que justifique a dificuldade para engravidar, o ginecologista pode encaminhar a paciente para um médico especialista em reprodução humana assistida.

A primeira coisa que ela terá de fazer são os exames de análises clínicas (sangue) para avaliar os níveis hormonais, uma ecografia (exame de imagem) e um exame ginecológico. Os exames servem para verificar o estado geral de saúde da mulher e informar ao médico se ela está ovulando, por exemplo.

Exames que ajudam no diagnóstico de infertilidade feminina

As condições dos ovários e do útero também são observadas, assim como o desenvolvimento folicular, por intermédio de exames mais específicos, que ajudam no diagnóstico da infertilidade feminina. São exemplos a:

  • histerossalpingografia: uma espécie de raio-X contrastado que permite visualizar o estado das trompas de falópio.
  • Histeroscopia de diagnóstico: utiliza uma sonda que contém uma pequena câmera de vídeo, que capta imagens internas do útero e permite investigar a eventual existência de problemas, como pólipos uterinos.

Alguns casos são solucionados, apenas, a partir da realização desses exames, que são capazes de identificar doenças que têm como sequela a infertilidade.

Mas nem sempre os problemas de fertilidade estão relacionados a questões físicas. Alguns hábitos de vida também podem impossibilitar a reprodução. Esse e outros parâmetros também têm de ser considerados no diagnóstico da infertilidade:

  • hábitos de vida pouco saudáveis: fumar, usar drogas, praticar mais exercícios físicos do que o recomendado, não controlar o peso e o estresse, manter uma dieta deficitária, expor-se a produtos tóxicos e à poluição excessiva são fatores associados à infertilidade feminina.
  • Idade: quanto mais o tempo passa, menores são as chances de uma mulher engravidar naturalmente. A probabilidade reduz a cada ano de vida. A ação do tempo também interfere negativamente na qualidade dos gametas femininos.
  • Problemas de infertilidade sem explicação: pode acontecer de as causas da infertilidade feminina não serem identificadas mesmo após toda a investigação diagnóstica. Nesse caso, é necessário buscar outras alternativas para a mulher tornar-se mãe.

Conteúdo atualizado em: 29 de junho de 2017

 Agendar Consulta

Para agendar uma consulta preencha o formulário: